quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

O "pai" da Cinderela


"O sonho é um desejo d'alma
N'alma adormecer
Em sonhos a vida é calma
É só desejar para ter

Tem fé no teu sonho e um dia
Teu lindo dia há de chegar
Que importa o mal que te atormenta
Se o sonho te contenta
E pode se realizar..."





Tá, confesso! Eu aaamooo Cinderela!
Lembro que muitos anos atrás comprei para minha filha a trilogia (isso mesmo TRÊS filmes, em desenhos, da Cinderela), assim como comprei pra ela várias bonecas, uma mais linda que a outra! lógico que comprei pra ela kkkk não tenho culpa se ela nunca ligou muito pra Cinderela e quando eu colocava os filmes pra ela, ela logo perdia o interesse, ia fazer outras coisas e eu ficava lá, vidrada, assistindo... kkkkk Sei todas as músicas, as falas... Ainda bem! Pois na mudança os DVD's se "escafederam" snif snif....
Assisti recentemente o "novo" filme da Cinderela que lançou no cinema e quer saber? Não gostei! Cinderela feia, príncipe feio... kkkkkk
Mas e aí, quem escreveu Cinderela? Muitos afirmam veementemente que foram os irmãos Grimm... Eu já tinha ouvido que foi Charles Perraut... e, se não me engano, ontem, no tema do Doodle do Google, estava o Charles Perraut, entrei pra ver e dizia o seguinte:




"Sempre que o Google aparece com o Doodle novo, nós ficamos apreciando sua bela arte e muitas vezes – quando ele é interativo – passamos horas jogando. O Doodle de hoje, além de ser lindo, homenageia um autor que você provavelmente não conhece, mas sabe de cor várias de suas histórias.
Hoje (12) é o 388º aniversário de Charles Perrault, um escritor infantil e poeta francês do século XVII, que escreveu grandes clássicos de contos de fadas como “Chapeuzinho Vermelho“, mas a homenagem do Google contém ilustrações de “Cinderela” (imagem acima), “A Bela Adormecida” e “O Gatos de Botas“, outras obras escritas por ele.

charles-perraults-388th-birthday-5071286030041088-hp2x pasted image 0
 
Perrault, em 1643, iniciou seu curso de direito e, oito anos depois, com apenas vinte e três anos, conseguiu seu diploma de advogado. Em 1695, já idoso, teve a ideia de registar todas histórias que ouvia de sua mãe, publicando seu primeiro livro infantil em 11 de Janeiro de 1697, aos seus 75 anos.
Vários de seus contos foram publicados em um livro que era chamado de “Contos da Mãe Gansa” e alcançou públicos de todo o mundo, rompendo os limites literários e marcando o início de um novo gênero: o conto de fadas. Entre suas famosas obras temos também “O Pequeno Polegar” e “Barba Azul“."

Achei mais coisas : 


A História da Cinderela:

Que menina na sua infância não escutou um lindo conto de princesas? E que garota nunca quis ser uma delas? Entre Branca de Neve, Bela Adormecida, Bela, existe também a famosa princesa Cinderela.
Muitos também a conhecem como "A Gata Borralheira". O escritor francês Charles Perraut inventou Cinderela no ano de 1967, para uma coleção de Livros chamada de "Contos da Mamãe Ganso". Hoje existem mais de 3.000 versões do conto da Princesa espalhados pelo mundo todo, até mesmo grandes filmes já foram inspirados no conto.
Quando os escritores da Disney conheceram este maravilhoso conto de fadas, logo levaram, e dele fizeram um grande sucesso mantendo os originais de Charles Perraut. Cinderela era uma jovem garota vestida de farrapos e era forçada a trabalhar nas tarefas da casa por sua malvada madrasta. Um dia as damas da cidade entre outros nomes importantes foram convidados para o baile em que o Rei estava dando, para buscar uma noiva para seu príncipe.
Na história original temos o baile, um príncipe encantado, uma fada madrinha e muitas emoções. O pessoal da Disney resolveu então adicionar alguns ratos, pássaros e outros animais, que deram mais emoção e diversão pro desenho animado, que até hoje é um clássico, para qualquer menina.
Cinderela foi um dos desenhos em longa-metragem mais bem produzidos da Disney. Na época, pensaram em gravar Alice No País das Maravilhas primeiro, mas acabaram gravando Cinderela e mais tarde eles desenvolveram Alice.


E tem a versão dos irmãos Grimm:

Cinderela é um dos contos de fadas mais populares da Humanidade.
Sua origem tem diferentes versões. A versão mais conhecida é a do escritor francês Charles Perrault, de 1697, baseada num conto italiano popular chamado La gatta cenerentola ("A gata borralheira"). A mais antiga é originária da China, por volta de 860 a.C.. Existe também a dos Irmãos Grimm, semelhante à de Charles Perrault. Nesta, porém, não há a figura da fada-madrinha e quem favorece a realização do desejo de ir ao baile são os pombos e a árvore que crescem no túmulo de sua mãe. Neste caso, Cinderela sabe palavras mágicas, usadas no imperativo, que auxiliam na transformação de seu pedido em realidade. No final, as irmãs malvadas ficam cegas quando são atacadas por pombos que lhes furam os olhos. Segundo outras versões a figura da fada madrinha na verdade é o espírito da falecida mãe da própria protagonista que trazia um vestido do céu para Cinderela usar no baile.
Psicanalistas vêem na história de Cinderela muito mais do que uma simples trama romântica. Por ter origem atemporal e ter surgido em várias civilizações diferentes, a trajetória da protagonista traduziria uma espécie de arquétipo fundamental, traduzindo o anseio natural da psiquê humana em ser reconhecida especial e levada a uma existência superior. A literatura e o cinema, cientes disso, utilizaram-se de seu arco dramático para o desenvolvimento de inúmeras outras obras de apelo popular. 

Vamos à história de Cinderela:



Cinderela era filha de um comerciante rico. Depois que seu pai morreu , sua madrasta tomou conta da casa que era de Cinderela. Cinderela então, passou a viver com sua madrasta malvada, junto de suas duas filhas que tinham inveja da beleza de Cinderela e transformaram-na em uma serviçal. Ela tinha de fazer todos os serviços domésticos e ainda era alvo de deboches e malvadezas. Seu refúgio era o quarto no sótão da sua própria casa e seus únicos amigos: os animais da floresta.
Um belo dia, é anunciado que o Rei realizará um baile para que o príncipe escolha sua esposa dentre todas as moças do reino. No convite, distribuído a todos os cidadãos, havia o aviso de que todas as moças deveriam comparecer ao Baile promovido pelo Rei.
A madrasta de Cinderela sabia que ela era a mais bonita da região, então disse que ela não poderia ir porque não tinha um vestido apropriado para a ocasião. Cinderela, então, costurou um vestido com a ajuda de seus amigos da floresta. Passarinhos, ratinhos e esquilos a ajudaram a fazer um vestido de retalhos, mas muito bonito. Porém, a madrasta não queria que Cinderela comparecesse ao baile de forma alguma, pois sua beleza impediria que o príncipe se interessasse por suas duas filhas. Sendo assim, ela e as filhas rasgaram o vestido, dizendo que não tinham autorizado Cinderela a usar os retalhos que estavam no lixo. Fizeram isso de última hora, para impedir que a moça tivesse tempo para costurar outro.


A fada madrinha
aparece para Cinderela (ilustração de 1927)

Muito triste, Cinderela foi para seu quarto no sótão e ficou à janela, olhando para o Castelo na colina. Chorou, chorou e rezou muito. De suas orações e lágrimas, surgiu sua Fada-madrinha que confortou a moça e usou de sua mágica para criar um lindo vestido para Cinderela. Também surgiu uma linda carruagem e os amiguinhos da floresta foram transformados em humanos, cocheiro e ajudantes de Cinderela. Antes de sua afilhada sair, a Fada-madrinha lhe deu um aviso: a moça deveria chegar antes da meia-noite, ou toda a mágica iria se desfazer aos olhos de todos.
Cinderela chegou à festa como uma princesa. Estava tão bonita, que não foi reconhecida a não ser pela madrasta,que passou a noite inteira dizendo para as filhas que achava conhecer a moça de algum lugar, mas não conseguia dizer de onde. O príncipe, tão-logo a viu a convidou para dançar. Cinderela e o príncipe dançaram e dançaram a noite inteira. Conversaram e riram como duas almas gêmeas e logo se perceberam feitos um para o outro.
Acontece que a fada-madrinha tinha avisado que toda a magia só duraria até à meia-noite e um. Quando o relógio badalou as doze batidas e um minuto, Cinderela teve de sair correndo. Foi quando deixou um dos seus sapatinhos de cristal na escadaria. O príncipe, muito preocupado por não saber o nome da moça ou como reencontrá-la, pegou o pequeno sapatinho e saiu em sua busca no reino e em outras cidades. Muitas moças disseram ser a dona do sapatinho, mas o pé de nenhuma delas se encaixava no objeto.
Quando o príncipe bateu à porta da casa de Cinderela, a madrasta trancou a moça no sótão e deixou apenas que suas duas filhas experimentassem o sapatinho. Apesar das feiosas se esforçarem, nada do sapatinho de cristal servir. Foi quando um ajudante do príncipe viu que havia uma moça na janela do sótão da casa.
Sob as ordens do príncipe, a madrasta teve de deixar Cinderela descer. A moça então experimentou o sapatinho, mas antes mesmo que ele servisse em seus pés, o príncipe já tinha dentro do seu coração a certeza de que havia reencontrado o amor de sua vida. Cinderela e o príncipe se casaram em uma linda cerimônia, e anos depois se tornariam Rei e Rainha, famosos pelo bom coração e pelo enorme senso de justiça. Cinderela e o príncipe foram felizes para todo o sempre.
 (fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cinderela)

  Tem como não amar???

0 comentários:

Postar um comentário

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

O "pai" da Cinderela


"O sonho é um desejo d'alma
N'alma adormecer
Em sonhos a vida é calma
É só desejar para ter

Tem fé no teu sonho e um dia
Teu lindo dia há de chegar
Que importa o mal que te atormenta
Se o sonho te contenta
E pode se realizar..."





Tá, confesso! Eu aaamooo Cinderela!
Lembro que muitos anos atrás comprei para minha filha a trilogia (isso mesmo TRÊS filmes, em desenhos, da Cinderela), assim como comprei pra ela várias bonecas, uma mais linda que a outra! lógico que comprei pra ela kkkk não tenho culpa se ela nunca ligou muito pra Cinderela e quando eu colocava os filmes pra ela, ela logo perdia o interesse, ia fazer outras coisas e eu ficava lá, vidrada, assistindo... kkkkk Sei todas as músicas, as falas... Ainda bem! Pois na mudança os DVD's se "escafederam" snif snif....
Assisti recentemente o "novo" filme da Cinderela que lançou no cinema e quer saber? Não gostei! Cinderela feia, príncipe feio... kkkkkk
Mas e aí, quem escreveu Cinderela? Muitos afirmam veementemente que foram os irmãos Grimm... Eu já tinha ouvido que foi Charles Perraut... e, se não me engano, ontem, no tema do Doodle do Google, estava o Charles Perraut, entrei pra ver e dizia o seguinte:




"Sempre que o Google aparece com o Doodle novo, nós ficamos apreciando sua bela arte e muitas vezes – quando ele é interativo – passamos horas jogando. O Doodle de hoje, além de ser lindo, homenageia um autor que você provavelmente não conhece, mas sabe de cor várias de suas histórias.
Hoje (12) é o 388º aniversário de Charles Perrault, um escritor infantil e poeta francês do século XVII, que escreveu grandes clássicos de contos de fadas como “Chapeuzinho Vermelho“, mas a homenagem do Google contém ilustrações de “Cinderela” (imagem acima), “A Bela Adormecida” e “O Gatos de Botas“, outras obras escritas por ele.

charles-perraults-388th-birthday-5071286030041088-hp2x pasted image 0
 
Perrault, em 1643, iniciou seu curso de direito e, oito anos depois, com apenas vinte e três anos, conseguiu seu diploma de advogado. Em 1695, já idoso, teve a ideia de registar todas histórias que ouvia de sua mãe, publicando seu primeiro livro infantil em 11 de Janeiro de 1697, aos seus 75 anos.
Vários de seus contos foram publicados em um livro que era chamado de “Contos da Mãe Gansa” e alcançou públicos de todo o mundo, rompendo os limites literários e marcando o início de um novo gênero: o conto de fadas. Entre suas famosas obras temos também “O Pequeno Polegar” e “Barba Azul“."

Achei mais coisas : 


A História da Cinderela:

Que menina na sua infância não escutou um lindo conto de princesas? E que garota nunca quis ser uma delas? Entre Branca de Neve, Bela Adormecida, Bela, existe também a famosa princesa Cinderela.
Muitos também a conhecem como "A Gata Borralheira". O escritor francês Charles Perraut inventou Cinderela no ano de 1967, para uma coleção de Livros chamada de "Contos da Mamãe Ganso". Hoje existem mais de 3.000 versões do conto da Princesa espalhados pelo mundo todo, até mesmo grandes filmes já foram inspirados no conto.
Quando os escritores da Disney conheceram este maravilhoso conto de fadas, logo levaram, e dele fizeram um grande sucesso mantendo os originais de Charles Perraut. Cinderela era uma jovem garota vestida de farrapos e era forçada a trabalhar nas tarefas da casa por sua malvada madrasta. Um dia as damas da cidade entre outros nomes importantes foram convidados para o baile em que o Rei estava dando, para buscar uma noiva para seu príncipe.
Na história original temos o baile, um príncipe encantado, uma fada madrinha e muitas emoções. O pessoal da Disney resolveu então adicionar alguns ratos, pássaros e outros animais, que deram mais emoção e diversão pro desenho animado, que até hoje é um clássico, para qualquer menina.
Cinderela foi um dos desenhos em longa-metragem mais bem produzidos da Disney. Na época, pensaram em gravar Alice No País das Maravilhas primeiro, mas acabaram gravando Cinderela e mais tarde eles desenvolveram Alice.


E tem a versão dos irmãos Grimm:

Cinderela é um dos contos de fadas mais populares da Humanidade.
Sua origem tem diferentes versões. A versão mais conhecida é a do escritor francês Charles Perrault, de 1697, baseada num conto italiano popular chamado La gatta cenerentola ("A gata borralheira"). A mais antiga é originária da China, por volta de 860 a.C.. Existe também a dos Irmãos Grimm, semelhante à de Charles Perrault. Nesta, porém, não há a figura da fada-madrinha e quem favorece a realização do desejo de ir ao baile são os pombos e a árvore que crescem no túmulo de sua mãe. Neste caso, Cinderela sabe palavras mágicas, usadas no imperativo, que auxiliam na transformação de seu pedido em realidade. No final, as irmãs malvadas ficam cegas quando são atacadas por pombos que lhes furam os olhos. Segundo outras versões a figura da fada madrinha na verdade é o espírito da falecida mãe da própria protagonista que trazia um vestido do céu para Cinderela usar no baile.
Psicanalistas vêem na história de Cinderela muito mais do que uma simples trama romântica. Por ter origem atemporal e ter surgido em várias civilizações diferentes, a trajetória da protagonista traduziria uma espécie de arquétipo fundamental, traduzindo o anseio natural da psiquê humana em ser reconhecida especial e levada a uma existência superior. A literatura e o cinema, cientes disso, utilizaram-se de seu arco dramático para o desenvolvimento de inúmeras outras obras de apelo popular. 

Vamos à história de Cinderela:



Cinderela era filha de um comerciante rico. Depois que seu pai morreu , sua madrasta tomou conta da casa que era de Cinderela. Cinderela então, passou a viver com sua madrasta malvada, junto de suas duas filhas que tinham inveja da beleza de Cinderela e transformaram-na em uma serviçal. Ela tinha de fazer todos os serviços domésticos e ainda era alvo de deboches e malvadezas. Seu refúgio era o quarto no sótão da sua própria casa e seus únicos amigos: os animais da floresta.
Um belo dia, é anunciado que o Rei realizará um baile para que o príncipe escolha sua esposa dentre todas as moças do reino. No convite, distribuído a todos os cidadãos, havia o aviso de que todas as moças deveriam comparecer ao Baile promovido pelo Rei.
A madrasta de Cinderela sabia que ela era a mais bonita da região, então disse que ela não poderia ir porque não tinha um vestido apropriado para a ocasião. Cinderela, então, costurou um vestido com a ajuda de seus amigos da floresta. Passarinhos, ratinhos e esquilos a ajudaram a fazer um vestido de retalhos, mas muito bonito. Porém, a madrasta não queria que Cinderela comparecesse ao baile de forma alguma, pois sua beleza impediria que o príncipe se interessasse por suas duas filhas. Sendo assim, ela e as filhas rasgaram o vestido, dizendo que não tinham autorizado Cinderela a usar os retalhos que estavam no lixo. Fizeram isso de última hora, para impedir que a moça tivesse tempo para costurar outro.


A fada madrinha
aparece para Cinderela (ilustração de 1927)

Muito triste, Cinderela foi para seu quarto no sótão e ficou à janela, olhando para o Castelo na colina. Chorou, chorou e rezou muito. De suas orações e lágrimas, surgiu sua Fada-madrinha que confortou a moça e usou de sua mágica para criar um lindo vestido para Cinderela. Também surgiu uma linda carruagem e os amiguinhos da floresta foram transformados em humanos, cocheiro e ajudantes de Cinderela. Antes de sua afilhada sair, a Fada-madrinha lhe deu um aviso: a moça deveria chegar antes da meia-noite, ou toda a mágica iria se desfazer aos olhos de todos.
Cinderela chegou à festa como uma princesa. Estava tão bonita, que não foi reconhecida a não ser pela madrasta,que passou a noite inteira dizendo para as filhas que achava conhecer a moça de algum lugar, mas não conseguia dizer de onde. O príncipe, tão-logo a viu a convidou para dançar. Cinderela e o príncipe dançaram e dançaram a noite inteira. Conversaram e riram como duas almas gêmeas e logo se perceberam feitos um para o outro.
Acontece que a fada-madrinha tinha avisado que toda a magia só duraria até à meia-noite e um. Quando o relógio badalou as doze batidas e um minuto, Cinderela teve de sair correndo. Foi quando deixou um dos seus sapatinhos de cristal na escadaria. O príncipe, muito preocupado por não saber o nome da moça ou como reencontrá-la, pegou o pequeno sapatinho e saiu em sua busca no reino e em outras cidades. Muitas moças disseram ser a dona do sapatinho, mas o pé de nenhuma delas se encaixava no objeto.
Quando o príncipe bateu à porta da casa de Cinderela, a madrasta trancou a moça no sótão e deixou apenas que suas duas filhas experimentassem o sapatinho. Apesar das feiosas se esforçarem, nada do sapatinho de cristal servir. Foi quando um ajudante do príncipe viu que havia uma moça na janela do sótão da casa.
Sob as ordens do príncipe, a madrasta teve de deixar Cinderela descer. A moça então experimentou o sapatinho, mas antes mesmo que ele servisse em seus pés, o príncipe já tinha dentro do seu coração a certeza de que havia reencontrado o amor de sua vida. Cinderela e o príncipe se casaram em uma linda cerimônia, e anos depois se tornariam Rei e Rainha, famosos pelo bom coração e pelo enorme senso de justiça. Cinderela e o príncipe foram felizes para todo o sempre.
 (fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cinderela)

  Tem como não amar???

Nenhum comentário:

Postar um comentário