quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Não compre: Adote!

É... e hoje fazem dois anos que o Jacob está conosco!

Foi assim: Dois anos atrás, já tínhamos a Lolla (que tb peguei da rua), aí já era de noite, meu marido foi passear com ela pelo bairro, como sempre faz. Eles demoram um certo tempo, e nesse dia ele voltou muito rápido, todo elétrico. Pega o carro e vamos, vc precisa ver! Tem um cachorrão na avenida (pertinho de casa), ele parece muito triste e doente, ele é GRANDE.



E lá fomos nós, quase meia-noite, as crianças de pijamas... Rapidinho chegamos. Nunca vou esquecer a cena: Ele lá: imundo, magro, profundamente triste, com fome. E realmente grande, largado na calçada em frente uma empresa. Voltei em casa, peguei potes, ração, água. Ele não quis comer, só bebeu bem pouca água. 


A todo custo tentei que ele se levanta-se. Em vão. Qdo encostava nas costelas ele mostrava os dentes, bravo (estava com dor). E agora? A possibilidade de ignora-lo nem passou na minha cabeça. Ele precisava de ajuda. Até tem uma clínica veterinária 24hs nessa mesma avenida beeem mais pra baixo. Credibilidade dessa clínica muito ruím, diversos conhecidos já passaram por lá e todos com reclamações. Eu não levava a Lolla lá, não ia levar ele... E tb não podia deixa-lo jogado na rua... Marido foi até em casa, pegou uma colcha bem resistente, passamos essa colcha por debaixo do cão e o erguemos até o banco de trás do carro. Foi punk, marido com receio de ser mordido...


Chegando em casa retiramos ele do carro, a Lolla foi recepciona-lo, uma graça! Parecia que estava entendendo o que estava acontecendo! Mas, não me esqueci que tínhamos acabado de tira-lo da rua, ele era grande, velho, estava com dor, não o conhecia... 



Decidi isola-lo da Lolla e das crianças até o outro dia quando o levaria ao veterinário... as crianças eufóricas que queriam ficar com ele! Coloquei ele no quintalzinho de trás, com comida, e pela janela da cozinha o observava: Com dificuldade ele levantou, comeu, bebeu, fez xixi... ótimo! Era domingo.


No dia seguinte ele já parecia OUTRO CACHORRO!!!!! estava andando, conhecendo cada cantinho!
Levei na veterinária: Ele tinha aproximadamente 10 anos, catarata, muita pulga, carrapato, desnutrido e uma lesão que segundo a vet poderia ter sido uma paulada que levou. Provavelmente uma mistura de Akita com Husky. Ainda pelas palavras dela: ele tinha casa, foi abandonado, teria fugido? quase certeza que não. Ele estava muito maltratado, amedrontado, desconfiado, contei que ele não quis comer na rua e pela magreza ninguém o estava alimentando, ela disse que é comum essa reação em cães abandonados, eles simplesmente não entendem o que aconteceu, e por mais filho da puta que tivesse sido o dono anterior, ele sentia saudades dele e estava sem comer esperando o dono voltar pra buscar ele...

Examinado, vacinado, medicado, banho tomado,voltamos pra casa, sim pq agora ele era MEU! Até procurei pelas redondezas se ele havia se perdido, se o estavam procurando e nada...


Uma semana depois tinha sensação que ele era meu desde filhote! E sei que ele sentiu o mesmo! Super adaptado a casa, as crianças, comigo, com o marido, com  a Lolla, aos gatos... Pelas "atitudes" dele pude perceber que ele tb tinha sido criado com gatos!



Segui a risca as recomendações e medicamentos que a veterinária passou. Ele já corria! E lembrar dele na rua, meu coração se enche de amor e orgulho!!!!!


Bom, mas eu ouvi hein, sobre ele... :" vc é louca" "pegar um cachorro desse tamanho" "com duas crianças em casa" "um cachorro velho!" "cachorro velho é traiçoeiro" "vc é uma irresponsável"
Não sou demente, sabia dos riscos, eu estava sempre por perto, vigiando, monitorando cada passo dele, tentando perceber qual a índole dele...

Aí olhava nos olhos dele e eu conseguia ver a gratidão! Com todos de casa. Ele era agora um cão cuidado, bem alimentado, feliz e o mais importante: AMADO.
Isso pra mim supera qualquer falatório!


Como pode alguém fazer isso? abandonar um velhinho?! Não posso dizer que fiquei revoltada, pq fiquei, fico e ficarei é muito orgulhosa dele! Com sua evolução, e grata por ele estar conosco! Já disse que a sensação é de como ele já fosse meu desde sempre e é assim que eu penso! Foi e sempre será! Meu velho que eu amo demais!!!!!!!!!



0 comentários:

Postar um comentário

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Não compre: Adote!

É... e hoje fazem dois anos que o Jacob está conosco!

Foi assim: Dois anos atrás, já tínhamos a Lolla (que tb peguei da rua), aí já era de noite, meu marido foi passear com ela pelo bairro, como sempre faz. Eles demoram um certo tempo, e nesse dia ele voltou muito rápido, todo elétrico. Pega o carro e vamos, vc precisa ver! Tem um cachorrão na avenida (pertinho de casa), ele parece muito triste e doente, ele é GRANDE.



E lá fomos nós, quase meia-noite, as crianças de pijamas... Rapidinho chegamos. Nunca vou esquecer a cena: Ele lá: imundo, magro, profundamente triste, com fome. E realmente grande, largado na calçada em frente uma empresa. Voltei em casa, peguei potes, ração, água. Ele não quis comer, só bebeu bem pouca água. 


A todo custo tentei que ele se levanta-se. Em vão. Qdo encostava nas costelas ele mostrava os dentes, bravo (estava com dor). E agora? A possibilidade de ignora-lo nem passou na minha cabeça. Ele precisava de ajuda. Até tem uma clínica veterinária 24hs nessa mesma avenida beeem mais pra baixo. Credibilidade dessa clínica muito ruím, diversos conhecidos já passaram por lá e todos com reclamações. Eu não levava a Lolla lá, não ia levar ele... E tb não podia deixa-lo jogado na rua... Marido foi até em casa, pegou uma colcha bem resistente, passamos essa colcha por debaixo do cão e o erguemos até o banco de trás do carro. Foi punk, marido com receio de ser mordido...


Chegando em casa retiramos ele do carro, a Lolla foi recepciona-lo, uma graça! Parecia que estava entendendo o que estava acontecendo! Mas, não me esqueci que tínhamos acabado de tira-lo da rua, ele era grande, velho, estava com dor, não o conhecia... 



Decidi isola-lo da Lolla e das crianças até o outro dia quando o levaria ao veterinário... as crianças eufóricas que queriam ficar com ele! Coloquei ele no quintalzinho de trás, com comida, e pela janela da cozinha o observava: Com dificuldade ele levantou, comeu, bebeu, fez xixi... ótimo! Era domingo.


No dia seguinte ele já parecia OUTRO CACHORRO!!!!! estava andando, conhecendo cada cantinho!
Levei na veterinária: Ele tinha aproximadamente 10 anos, catarata, muita pulga, carrapato, desnutrido e uma lesão que segundo a vet poderia ter sido uma paulada que levou. Provavelmente uma mistura de Akita com Husky. Ainda pelas palavras dela: ele tinha casa, foi abandonado, teria fugido? quase certeza que não. Ele estava muito maltratado, amedrontado, desconfiado, contei que ele não quis comer na rua e pela magreza ninguém o estava alimentando, ela disse que é comum essa reação em cães abandonados, eles simplesmente não entendem o que aconteceu, e por mais filho da puta que tivesse sido o dono anterior, ele sentia saudades dele e estava sem comer esperando o dono voltar pra buscar ele...

Examinado, vacinado, medicado, banho tomado,voltamos pra casa, sim pq agora ele era MEU! Até procurei pelas redondezas se ele havia se perdido, se o estavam procurando e nada...


Uma semana depois tinha sensação que ele era meu desde filhote! E sei que ele sentiu o mesmo! Super adaptado a casa, as crianças, comigo, com o marido, com  a Lolla, aos gatos... Pelas "atitudes" dele pude perceber que ele tb tinha sido criado com gatos!



Segui a risca as recomendações e medicamentos que a veterinária passou. Ele já corria! E lembrar dele na rua, meu coração se enche de amor e orgulho!!!!!


Bom, mas eu ouvi hein, sobre ele... :" vc é louca" "pegar um cachorro desse tamanho" "com duas crianças em casa" "um cachorro velho!" "cachorro velho é traiçoeiro" "vc é uma irresponsável"
Não sou demente, sabia dos riscos, eu estava sempre por perto, vigiando, monitorando cada passo dele, tentando perceber qual a índole dele...

Aí olhava nos olhos dele e eu conseguia ver a gratidão! Com todos de casa. Ele era agora um cão cuidado, bem alimentado, feliz e o mais importante: AMADO.
Isso pra mim supera qualquer falatório!


Como pode alguém fazer isso? abandonar um velhinho?! Não posso dizer que fiquei revoltada, pq fiquei, fico e ficarei é muito orgulhosa dele! Com sua evolução, e grata por ele estar conosco! Já disse que a sensação é de como ele já fosse meu desde sempre e é assim que eu penso! Foi e sempre será! Meu velho que eu amo demais!!!!!!!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário