segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Carpete de madeira x Piso laminado




Qual a diferença entre piso laminado e carpete de madeira?

 O acabamento de uma casa e mais precisamente o piso é de vital importância não só no aspecto da aparência, como também na praticidade, durabilidade e inclusive no aspecto valorização do imóvel. As pessoas podem usar o chamado piso frio ou cerâmico, assim como os derivados da madeira que são bastante úteis especialmente em quartos onde não há incidência de água no piso. Antigamente era comum usar o próprio piso de madeira que muitos também o chamavam de taco, mas recentemente é mais habitual o uso de carpete de madeira ou agora o piso laminado. Mas qual a diferença entre eles?

O Carpete de madeira costuma ser confundido com o piso laminado, mesmo entre os vendedores,  afinal o acabamento  dos materiais é praticamente idêntico. Na verdade, os dois materiais tem características técnicas bastante semelhantes, exceto pela resistência: Conforme norma brasileira, os pisos com maior resistência à abrasão – ou seja, a riscos e desgaste inevitável com o tempo – são os pisos laminados, que possuem maior resistência justamente devido à sua Laminação. Os carpetes de Madeira, por outro lado, são uma alternativa mais econômica para o consumidor, e que podem ser também muito duráveis, desde que bem cuidados.


 Vamos entender então um pouco das características de cada um desses revestimentos:

Carpete de madeira

Este piso trata-se de uma folha de madeira natural, bastante fina, colada e prensada a uma base de madeira processada, como compensado, aglomerado, mdf ou similares. Geralmente o carpete de madeira é bem mais fino do que os pisos de madeira maciça, com algo em torno de cinco a sete milímetros.
O carpete de madeira é usualmente instalado com bastante facilidade ao contra piso e funciona como um piso flutuante: Ao contrário dos pisos de madeira, ele não é colado ou parafusado ao piso, mas sim apenas colocado sobre uma manta de separação, e preso um ao outro por meio de encaixes do tipo macho e fêmea. Nas bordas é aplicado um rodapé que arremata o revestimento, evitando que ele saia do lugar.
Enquanto a rapidez de aplicação do sistema e preço são suas grandes vantagens, as desvantagens estão relacionadas à baixa durabilidade em relação a outros pisos, ruído característico (uma espécie de som “oco” ao se caminhar sobre ele – existem marcas que possuem soluções especiais para minimizar essa questão) e péssima resistência a água.

Piso laminado

Ainda que existam pisos laminados aplicados diretamente ao contra piso por meio de colas, iremos tratar daqui dos pisos laminados de alta resistência com base, ou seja, os pisos comuns de mercado que geram dúvidas entre os outros revestimentos aqui abordados.
O piso laminado é muito similar ao carpete de madeira – o sistema de aplicação e a base são bastante similares. A grande diferença, no entanto, diz respeito ao revestimento final, a superfície em que o usuário pisa. Enquanto no carpete de madeira o acabamento é em folha de madeira, aqui o piso é revestido de algo chamado laminado melamínico (ou fenólico). Esse revestimento é mais conhecido no Brasil pelo nome de um de seus principais fabricantes, a Fórmica.
A grande confusão que ocorre é porque os fabricantes usam laminados que possuem estampas de madeira – São laminados melamínicos que imitam madeira, de forma surpreendentemente real. Mas é um material que poderia ser colorido, ou ter uma estampa, por exemplo.
A vantagem desse tipo de piso, além do mencionado nos carpetes de madeira, é que se desenvolveu uma alta tecnologia para a fabricação desses produtos e o resultado é realmente bastante bom em termos de encaixe e aparência final. A durabilidade é maior do que a dos carpetes de madeira, por causa do laminado e do acabamento do laminado (um processo chamado overlay, mais durável que o verniz do carpete de madeira), porém menor do que a do piso de madeira. As questões de ruído persistem, com algumas melhoras.

Como podemos ver, o importante é saber o que se deseja de um piso: é apenas resolver um problema rapidamente? Colocar algo barato com a aparência de madeira? Um piso nobre, que dura a vida toda, altamente resistente? Pense nessas questões e escolha seu piso!

Sobre as cores:


Além da cor, diversas variáveis influenciam na escolha mais adequada de piso laminado para cada ambiente.
Tamanho dos ambientes, cores das paredes, dos móveis que estão ou serão utilizados, largura do piso (placas), altura do rodapé, sentido de instalação(diagonal, horizontal ou paralelo). Até mesmo o padrão de madeira mais ou menos desenhado terá influência.
Para ambientes pequenos é mais indicado pisos laminados de cores claras como branco (quartos), bege ou caqui. Outras sugestões para este tipo de ambiente são utilizar tábuas estreitas com texturas discretas em cor clara e é recomendado que as placas sejam instaladas voltadas para a porta de entrada. Essas medidas acrescentam amplitude ao ambiente.
Já para ambientes grandes é recomendável utilizar pisos escuros como café, para passar a sensação de que os ambientes (tanto salas quanto quartos) são menores, as placas podem ser mais largas com até 30cm, e o rodapé deve ser alto de 20 a 40cm.
Da mesma forma, a tonalidade do piso laminado deverá variar de acordo com o gosto e intenção do proprietário ou arquiteto. Por exemplo, para conferir mais suavidade aos ambientes com um ar moderno, atualmente são utilizados pisos na cor cáqui com poucas texturas e menos aspecto de madeira rústica. Os acessórios como almofadas podem utilizar cores como azul ou verde-água.
(fonte:http://info.zblu.com.br)



E a limpeza??

 Diversas são as opções de produtos para a limpeza do chão da casa na prateleira do supermercado, por isso, surge a dúvida: o que posso usar nos pisos laminados e nos de madeira natural? 

 Para os laminados, em específico, existe no mercado uma série de limpadores desenvolvidos pelas próprias marcas produtoras do revestimento e que prometem retirar sujeiras mais difíceis e conservar a qualidade do piso. Mas a "house organizer" Ingrid Lisboa ressalta: para uma higienização eficiente, basta usar um pano umedecido em uma solução de água e detergente neutro, sempre bem torcido.



A manutenção dos pisos laminados e dos carpetes de madeira é bem simples. Para a limpeza rotineira, use uma vassoura de cerdas macias ou aspirador de pó, seguidos por pano umedecido. “Não se deve utilizar abrasivos, cera, nem qualquer outro produto à base de silicone”, alerta a gerente de marketing da Eucafloor, Flavia Athayde Vibiano.
Isso porque os produtos à base de silicone criam uma camada gordurosa sobre o revestimento, o que acarreta o aparecimento de manchas e impede uma limpeza eficaz. Enquanto os materiais abrasivos - como os saponáceos e as esponjas de aço - devem ser evitados porque riscam a superfície do piso.
“As pessoas tendem a usar produtos em excesso, algo desnecessário e que acaba por causar danos ao material”, alerta a “house organize”, Ingrid Lisboa, que também não aconselha o uso de limpadores multiuso, que - em decorrência do uso contínuo - podem ocasionar manchas leves no piso.
Atente-se: o excesso de água pode levar ao inchaço da superfície, por isso, ao umedecer o pano em uma solução de 
5 l de água para uma colher de sopa de detergente neutro, torça-o bem, deixando-o “sequinho”.  Se na casa morar algum animal doméstico, adicione à solução três colheres de sopa de vinagre de vinho branco. “O vinagre serve como desinfetante e higieniza o ambiente”, explica Lisboa.
No entanto, para os pisos de madeira natural, o pano, mesmo enxuto, não é indicado. A palestrante da empresa Help Personal Assistant, Heloisa Sundfeld, explica que este procedimento pode provocar uma remoção do rejunte - resinas e vernizes -, resultando em rachaduras. Portanto, para a limpeza diária, use somente panos secos, aspirador de pó ou ainda vassoura de pelos macia.

Manchas difíceis:


Para tirar manchas mais difíceis, de laminados e carpetes de madeira, experimente primeiro tentar limpar com o próprio pano torcido, esfregando a área suja pontualmente e com maior intensidade, usando as mãos.
Para alguns tipos de sujeiras no piso laminado, use produtos específicos:
- Para limpar manchas de suco de uva, vinho e café, uma alternativa à água com sabão neutro é a solução composta por 50% de água morna e 50% de álcool, dispensada sobre a sujeira através de pano úmido;
- No caso de manchas de óleo ou gordura, aplique detergente do tipo desengordurante (puro) diretamente sobre o local e, em seguida, retire o excesso do produto com um pano;
- Para remover esmalte de unha, aplique uma pequena quantidade de acetona pura sobre a sujeira, mas apenas sobre a tinta em si;
- Utilize álcool para a remoção de manchas recentes de tinta de caneta ou mercúrio;
- Para marcas de batom e tinta látex, basta usar a solução de água e detergente neutro;
- Pequenas áreas sujas de tinta, verniz e graxa podem ser limpas com querosene ou aguarrás. Mas não se esqueça: para remover os resíduos do solvente, passe em seguida o pano umedecido - em solução de água e detergente neutro - e torcido.


Cera??


Laminados e carpetes de madeira não precisam e não podem ser encerados. A cera nestes tipos de piso forma uma camada de gordura junto à superfície, que podem ocasionar manchas, bem como dificultar a limpeza.  
Há no mercado produtos desenvolvidos para dar brilho ao piso de madeira maciça e indicação para uso eventual, mas fique sempre atento ao escolher: o melhor é verificar, junto ao fabricante do revestimento, o mais adequado.
Para evitar o acúmulo de cera, a quantidade dispensada deve ser mínima, para que não seja necessário, sequer, passar uma flanela seca para dar brilho.


Riscos:


Como qualquer superfície lisa, os laminados ou carpetes de madeira podem ser riscados. O que, no caso destes pisos, quase sempre significa recuperação impossível. Por isso, se previna:
- Na entrada dos ambientes, coloque capachos ou pequenos tapetes para conter o excesso de sujeira dos sapatos, que podem contar com partículas abrasivas - como pedras - sujeitas a riscar o piso;
- Sob os pés de mesas, cadeiras e outros móveis aplique feltros protetores autocolantes que diminuem o atrito entre as superfícies. No caso de cadeiras com rodinhas, escolha as que possuem rodízios de poliuretano que previnem marcas no revestimento;
- Nunca arraste os móveis, se quiser deslocá-los durante a limpeza ou reposicioná-los em uma repaginada no ambiente, peça ajuda e levante as peças.
De outro modo, os pisos de madeira maciça, quando riscados são passíveis de recuperação através de lixamento e novas demãos de vernizes e resinas. Para fazer o serviço, procure uma empresa especializada. Mas, também no caso de assoalhos, tacos em afins, não custa seguir o lema da prevenção e as dicas acima. O bolso agradece. 





Um comentário:

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Carpete de madeira x Piso laminado




Qual a diferença entre piso laminado e carpete de madeira?

 O acabamento de uma casa e mais precisamente o piso é de vital importância não só no aspecto da aparência, como também na praticidade, durabilidade e inclusive no aspecto valorização do imóvel. As pessoas podem usar o chamado piso frio ou cerâmico, assim como os derivados da madeira que são bastante úteis especialmente em quartos onde não há incidência de água no piso. Antigamente era comum usar o próprio piso de madeira que muitos também o chamavam de taco, mas recentemente é mais habitual o uso de carpete de madeira ou agora o piso laminado. Mas qual a diferença entre eles?

O Carpete de madeira costuma ser confundido com o piso laminado, mesmo entre os vendedores,  afinal o acabamento  dos materiais é praticamente idêntico. Na verdade, os dois materiais tem características técnicas bastante semelhantes, exceto pela resistência: Conforme norma brasileira, os pisos com maior resistência à abrasão – ou seja, a riscos e desgaste inevitável com o tempo – são os pisos laminados, que possuem maior resistência justamente devido à sua Laminação. Os carpetes de Madeira, por outro lado, são uma alternativa mais econômica para o consumidor, e que podem ser também muito duráveis, desde que bem cuidados.


 Vamos entender então um pouco das características de cada um desses revestimentos:

Carpete de madeira

Este piso trata-se de uma folha de madeira natural, bastante fina, colada e prensada a uma base de madeira processada, como compensado, aglomerado, mdf ou similares. Geralmente o carpete de madeira é bem mais fino do que os pisos de madeira maciça, com algo em torno de cinco a sete milímetros.
O carpete de madeira é usualmente instalado com bastante facilidade ao contra piso e funciona como um piso flutuante: Ao contrário dos pisos de madeira, ele não é colado ou parafusado ao piso, mas sim apenas colocado sobre uma manta de separação, e preso um ao outro por meio de encaixes do tipo macho e fêmea. Nas bordas é aplicado um rodapé que arremata o revestimento, evitando que ele saia do lugar.
Enquanto a rapidez de aplicação do sistema e preço são suas grandes vantagens, as desvantagens estão relacionadas à baixa durabilidade em relação a outros pisos, ruído característico (uma espécie de som “oco” ao se caminhar sobre ele – existem marcas que possuem soluções especiais para minimizar essa questão) e péssima resistência a água.

Piso laminado

Ainda que existam pisos laminados aplicados diretamente ao contra piso por meio de colas, iremos tratar daqui dos pisos laminados de alta resistência com base, ou seja, os pisos comuns de mercado que geram dúvidas entre os outros revestimentos aqui abordados.
O piso laminado é muito similar ao carpete de madeira – o sistema de aplicação e a base são bastante similares. A grande diferença, no entanto, diz respeito ao revestimento final, a superfície em que o usuário pisa. Enquanto no carpete de madeira o acabamento é em folha de madeira, aqui o piso é revestido de algo chamado laminado melamínico (ou fenólico). Esse revestimento é mais conhecido no Brasil pelo nome de um de seus principais fabricantes, a Fórmica.
A grande confusão que ocorre é porque os fabricantes usam laminados que possuem estampas de madeira – São laminados melamínicos que imitam madeira, de forma surpreendentemente real. Mas é um material que poderia ser colorido, ou ter uma estampa, por exemplo.
A vantagem desse tipo de piso, além do mencionado nos carpetes de madeira, é que se desenvolveu uma alta tecnologia para a fabricação desses produtos e o resultado é realmente bastante bom em termos de encaixe e aparência final. A durabilidade é maior do que a dos carpetes de madeira, por causa do laminado e do acabamento do laminado (um processo chamado overlay, mais durável que o verniz do carpete de madeira), porém menor do que a do piso de madeira. As questões de ruído persistem, com algumas melhoras.

Como podemos ver, o importante é saber o que se deseja de um piso: é apenas resolver um problema rapidamente? Colocar algo barato com a aparência de madeira? Um piso nobre, que dura a vida toda, altamente resistente? Pense nessas questões e escolha seu piso!

Sobre as cores:


Além da cor, diversas variáveis influenciam na escolha mais adequada de piso laminado para cada ambiente.
Tamanho dos ambientes, cores das paredes, dos móveis que estão ou serão utilizados, largura do piso (placas), altura do rodapé, sentido de instalação(diagonal, horizontal ou paralelo). Até mesmo o padrão de madeira mais ou menos desenhado terá influência.
Para ambientes pequenos é mais indicado pisos laminados de cores claras como branco (quartos), bege ou caqui. Outras sugestões para este tipo de ambiente são utilizar tábuas estreitas com texturas discretas em cor clara e é recomendado que as placas sejam instaladas voltadas para a porta de entrada. Essas medidas acrescentam amplitude ao ambiente.
Já para ambientes grandes é recomendável utilizar pisos escuros como café, para passar a sensação de que os ambientes (tanto salas quanto quartos) são menores, as placas podem ser mais largas com até 30cm, e o rodapé deve ser alto de 20 a 40cm.
Da mesma forma, a tonalidade do piso laminado deverá variar de acordo com o gosto e intenção do proprietário ou arquiteto. Por exemplo, para conferir mais suavidade aos ambientes com um ar moderno, atualmente são utilizados pisos na cor cáqui com poucas texturas e menos aspecto de madeira rústica. Os acessórios como almofadas podem utilizar cores como azul ou verde-água.
(fonte:http://info.zblu.com.br)



E a limpeza??

 Diversas são as opções de produtos para a limpeza do chão da casa na prateleira do supermercado, por isso, surge a dúvida: o que posso usar nos pisos laminados e nos de madeira natural? 

 Para os laminados, em específico, existe no mercado uma série de limpadores desenvolvidos pelas próprias marcas produtoras do revestimento e que prometem retirar sujeiras mais difíceis e conservar a qualidade do piso. Mas a "house organizer" Ingrid Lisboa ressalta: para uma higienização eficiente, basta usar um pano umedecido em uma solução de água e detergente neutro, sempre bem torcido.



A manutenção dos pisos laminados e dos carpetes de madeira é bem simples. Para a limpeza rotineira, use uma vassoura de cerdas macias ou aspirador de pó, seguidos por pano umedecido. “Não se deve utilizar abrasivos, cera, nem qualquer outro produto à base de silicone”, alerta a gerente de marketing da Eucafloor, Flavia Athayde Vibiano.
Isso porque os produtos à base de silicone criam uma camada gordurosa sobre o revestimento, o que acarreta o aparecimento de manchas e impede uma limpeza eficaz. Enquanto os materiais abrasivos - como os saponáceos e as esponjas de aço - devem ser evitados porque riscam a superfície do piso.
“As pessoas tendem a usar produtos em excesso, algo desnecessário e que acaba por causar danos ao material”, alerta a “house organize”, Ingrid Lisboa, que também não aconselha o uso de limpadores multiuso, que - em decorrência do uso contínuo - podem ocasionar manchas leves no piso.
Atente-se: o excesso de água pode levar ao inchaço da superfície, por isso, ao umedecer o pano em uma solução de 
5 l de água para uma colher de sopa de detergente neutro, torça-o bem, deixando-o “sequinho”.  Se na casa morar algum animal doméstico, adicione à solução três colheres de sopa de vinagre de vinho branco. “O vinagre serve como desinfetante e higieniza o ambiente”, explica Lisboa.
No entanto, para os pisos de madeira natural, o pano, mesmo enxuto, não é indicado. A palestrante da empresa Help Personal Assistant, Heloisa Sundfeld, explica que este procedimento pode provocar uma remoção do rejunte - resinas e vernizes -, resultando em rachaduras. Portanto, para a limpeza diária, use somente panos secos, aspirador de pó ou ainda vassoura de pelos macia.

Manchas difíceis:


Para tirar manchas mais difíceis, de laminados e carpetes de madeira, experimente primeiro tentar limpar com o próprio pano torcido, esfregando a área suja pontualmente e com maior intensidade, usando as mãos.
Para alguns tipos de sujeiras no piso laminado, use produtos específicos:
- Para limpar manchas de suco de uva, vinho e café, uma alternativa à água com sabão neutro é a solução composta por 50% de água morna e 50% de álcool, dispensada sobre a sujeira através de pano úmido;
- No caso de manchas de óleo ou gordura, aplique detergente do tipo desengordurante (puro) diretamente sobre o local e, em seguida, retire o excesso do produto com um pano;
- Para remover esmalte de unha, aplique uma pequena quantidade de acetona pura sobre a sujeira, mas apenas sobre a tinta em si;
- Utilize álcool para a remoção de manchas recentes de tinta de caneta ou mercúrio;
- Para marcas de batom e tinta látex, basta usar a solução de água e detergente neutro;
- Pequenas áreas sujas de tinta, verniz e graxa podem ser limpas com querosene ou aguarrás. Mas não se esqueça: para remover os resíduos do solvente, passe em seguida o pano umedecido - em solução de água e detergente neutro - e torcido.


Cera??


Laminados e carpetes de madeira não precisam e não podem ser encerados. A cera nestes tipos de piso forma uma camada de gordura junto à superfície, que podem ocasionar manchas, bem como dificultar a limpeza.  
Há no mercado produtos desenvolvidos para dar brilho ao piso de madeira maciça e indicação para uso eventual, mas fique sempre atento ao escolher: o melhor é verificar, junto ao fabricante do revestimento, o mais adequado.
Para evitar o acúmulo de cera, a quantidade dispensada deve ser mínima, para que não seja necessário, sequer, passar uma flanela seca para dar brilho.


Riscos:


Como qualquer superfície lisa, os laminados ou carpetes de madeira podem ser riscados. O que, no caso destes pisos, quase sempre significa recuperação impossível. Por isso, se previna:
- Na entrada dos ambientes, coloque capachos ou pequenos tapetes para conter o excesso de sujeira dos sapatos, que podem contar com partículas abrasivas - como pedras - sujeitas a riscar o piso;
- Sob os pés de mesas, cadeiras e outros móveis aplique feltros protetores autocolantes que diminuem o atrito entre as superfícies. No caso de cadeiras com rodinhas, escolha as que possuem rodízios de poliuretano que previnem marcas no revestimento;
- Nunca arraste os móveis, se quiser deslocá-los durante a limpeza ou reposicioná-los em uma repaginada no ambiente, peça ajuda e levante as peças.
De outro modo, os pisos de madeira maciça, quando riscados são passíveis de recuperação através de lixamento e novas demãos de vernizes e resinas. Para fazer o serviço, procure uma empresa especializada. Mas, também no caso de assoalhos, tacos em afins, não custa seguir o lema da prevenção e as dicas acima. O bolso agradece. 





Um comentário: