terça-feira, 27 de outubro de 2009

Fim de ano chegando!!!



O comércio não nos deixa esquecer... até na farmácia já tem arvore de Natal...uahauahauah exagerados? não, só pra nos lembrar que estão chegando:
* IPTU
* IPVA
* re-matrícula (x 2)
* uniforme (x 2)
* material escolar (x 2)
* aniversário do Gu na escola
* aniversário do Gu em casa
* formatura do Gustavo (lê-se álbum de formatura e "beca")
* presente das professoras e coordenadora
* presentes amigos e famílias
* ceia
etc etc etc... aí até desanima...kkkk não pelos gastos... e bom ganhar presente mas tb é ótimo dar... poder pagar um colégio bom para os filhos, e a emoção da formatura!!! Mas vamos combinar...final de ano junta tudo e mais um pouco! Dá vontade de sair correndo.... Um dia eu ganho na mega sena e não preciso mais me preocupar com isso...kkkk basta eu jogar né? quem sabe...

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

FELIZ! FELIZ! FELIZ!


Oba! Hoje é sexta-feira, já é um bom motivo pra ficar feliz MAAAAAAAAAAAS tenho um motivo mil vezes melhor: Acabei de saber: minha prima Jack tá gravidíssima!!!!!Ai que lindo ai que lindo ai que lindo!!!! Fiquei muito feliz! Que venha com muuuita saúde!!!! Já tem até nome: Enzo ou Isadora!!! Ela mora em Valinhos, liguei agora pra ela pra dar os parabéns, ela tá toda boba...ainda não caiu a ficha direito, ela só confirmou pelo exame ontem...eu sei como é... Lembro qdo engravidei do Gustavo... Demora um tempinho pra ficha cair...ai mais é lindo! uma criança sempre é uma bênção!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

erro de português

ok,ok, não sou perfeita, eu tb erro, admito. Agora, se tem uma coisa q eu ODEIO são erros de protuguês. Ah vá a merda, se tem dúvida da escrita, procura no google, pô! Ai vc me fala: por mais que possa parecer "distante", ainda tem pessoas que não possuem computador. Tá, já sei disso, mas numa empresa é o mínimo que se espera, né? (Até na MS tinha, né Than? uahauhauahua) enfim, eu comprei no mercado aquelas couves que já vêm picadinhas e embaladas, sabe? aí fui fazer hj no almoço e quando pego a bonita pra abrir a embalagem eis que me deparo com isso:


Para tuuuudo! Ah qué isso gente? extra com S? até o Gustavo sabe que é com X ! me revoltei! kkkk Se eu tivesse visto no mercado não teria comprado. É, sou rebelde mesmo! kkkk
Vai ver quem fez isso é parente da Sasha (que escreveu no twitter cena com s) uahauahaua Tá, ela foi alfabetizada em ingles e cena em ingles é scene, confundiu... Já esse fulaninho da couve não pode usar tal desculpa, pois até mesmo em inglês, extra é com X!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Backyardigans - peça



Falei da peça do homem-aranha e esqueci de falar da dos backyardigans que as crianças foram. Segundo a Paula, uma megaprodução, cheia de efeitos especiais caprichados, em 3D.



As crianças interagem o tempo todo, muito legal, eles adoraram!

homem aranha - peça



Nós fomos domingo no ginásio do Ibirapuera assistir a peça do homem aranha que o Du ops o Gustavo queria ver kkkkkk muito bem feito, gostei, mas sabe como é né... homem aranha não é muito minha praia... se fosse a barbie...uahauahaua então, mas eu achei muito comprido, são 2 atos de 90 minutos e 10 de intervalo... e as cadeiras do ginásio não são lá essas coisas no quesito conforto... aliás, o ginásio em geral tá um caco, precisa de uma reforma urgente!!!! ui. Mas foi legal!


Era do gelo 3


Daí que últimamente eu respriro A era do gelo 3... kkkkk é que o Gu faz niver dia 10 de Dezembro mas as aulas vão até o dia 04 de Dezembro e ele quer fazer festa na escola, aí antecipei pro Novembro, aí já viu a correria... (Ele bem q poderia ter colaborado e escolhido um tema mais...popular...kkk mas tá valendo!)
Já terminei o convite: 



vou fazer maletinhas com kit lanche, o mini bolo do parabéns e as lembrancinhas (conforme eu for fazendo eu coloco as fotos). São 36!!! kkk crianças pq vou fazer para 2 classes. Ele está super animado e eu super louca kkkkk.

A transformação dos animais em comida

A competição para produzir carne, ovos e derivados de leite baratos tem levado o "agribusiness" a tratar os animais como objetos e mercadorias. A tendência mundial é a de substituir fazendas familiares pelas granjas industriais: galpões onde os animais são mantidos em currais abarrotados ou cocheiras estreitas. Um grande número de bois de corte, vacas leiteiras, leitões, galinhas e perus são criados nessas condições.1
Crueldade industrializada:  granjas industriais
 cela
Porcas passam a vida inteira em gestação, presas em baias de aleitamento sem poder se virar.
 porquinho 
A lei federal norte-americana de Bem-Estar dos Animais (Animal Welfare Act) exclui da proteção os animais de granja, e a maioria das leis anti-crueldade isentam a prática padrão da pecuária. Isso inclui marcar com ferro quente, castrar, cortar o chifre, cortar o bico e a cauda - procedimentos realizados sem anestesia.
A maioria das pessoas que comem carne não pensam muito sobre todo o processo que envolve a conversão do animal vivo na carne no prato... Para a pecuária moderna, quanto menos o consumidor souber o que acontece antes que a carne acabe no prato, melhor. Se isso for verdade, seria uma situação éticamente justificável? Deveríamos, nós pecuaristas, relutar em permitir que as pessoas saibam o que realmente se passa, só porque não nos orgulhamos do que fazemos e  temos medo que as pessoas se tornem vegetarianas?
Dr. PhD Peter Cheeke, professor de Pecuária da Oregon State University, livro-texto "Contemporary Issues in Animal Agriculture" (Questões Atuais da Pecuária), 1999
Muitos acreditam que os animais criados para alimento devem ser bem tratados porque animais mortos ou doentes não rendem dinheiro. O Dr. PhD Bernard Rollin, explica que é "mais eficiente economicamente colocar um número maior de aves em cada gaiola, aceitando menor produtividade por galinha mas maior produtividade por gaiola ... os animais individuais podem "ter produtividade", por exemplo, em ganho de peso, também porque ficam imóveis, sofrendo por não ter como se mover ... galinhas são baratas, mas as gaiolas são caras".3
Esse filme [Babe] é a idéia que as pessoas têm sobre os porcos. Os "Babes" da vida real não vêem o sol em sua vida curta, não têm palha para se deitar, e nem lama para se banhar. Os leitões vivem em gaiolas minúsculas, tão estreitas que não podem sequer se virar. Eles vivem sobre grades de metal, e seus excrementos são empurrados em calhas por debaixo e descarregados em fossas imensas.
Morley Safer reportagem "Pork Power" (Poder dos Porcos), noticiário 60 Minutes, 19/9/1997
Em um artigo recomendando que o espaço seja reduzido de 2,5 para 1,8m quadrados por leitão, o jornal da indústria National Hog Farmer (Fazendeiro de Porcos Nacional) sugere que "amontoar compensa" na produtividade final.4
Aves
Nos EUA, praticamente todas as aves de produção são criadas em granjas industriais.5 Nessas condições estressantes e superpopulosas, as galinhas bicam-se umas às outras. Para impedir isso, os funcionários cortam até 2/3 dos bicos com uma lâmina quente, causando dor aguda durante semanas.6 Algumas aves não conseguem comer depois de cortado o bico e morrem de fome.3 Em galpões pouco ventilados, os excrementos exalam vapores que causam infecções respiratórias, infecções nos olhos e outros danos.7

Galinhas poedeiras

Até seis3 galinhas poedeiras vivem em uma única gaiola cujo chão feito de grades de arame nao passa de 0,5 metros quadrados.1 Essas condições levam à debilidade, ossos quebradiços, osteoporose e fraqueza muscular.3
Com o aumento do conhecimento sobre o comportamento e as habilidades cognitivas da galinha, veio o reconhecimento de que a galinha não é uma espécie inferior para ser tratada meramente como uma fonte de alimento.
Dr. PhD Lesley J. Rogers, "The Development of Brain and Behaviour in the Chicken" (O Desenvolvimento do Cérebro e do Comportamento na Galinha), 1995
Em 1888, as galinhas punham em média 100 ovos por ano;1 em 1998, a média era de 256.8 Ao final de seu ciclo de postura, as galinhas nos EUA são abatidas ou recebem um "choque biológico" que consiste em remover a ração e a água por vários dias para provocar outro ciclo de postura de ovos.5
 debicagem
Debicagem
 criação de frangos
Galinheiro de frango
As granjas de ovos não fazem uso dos pintos machos; eles são mortos por sufocamento em sacos plásticos, decapitação, câmaras de gás ou esmagamento.3
 
De acordo com os estudiosos, as galinhas [criadas para o abate] crescem tão rapidamente que o coração e os pulmões não se desenvolvem o bastante para suportar o resto do corpo, resultando em falha cardíaca congestiva e tremendas perdas por  mortes.
David Martin para a revista Feedstuffs (Rações), 26/5/1997
A realidade da vida das vacas
As pessoas normalmente acreditam que não causam mal às vacas ao beber seu leite. No entanto, não é lucrativo manter vacas vivas depois que sua produção de leite diminui - geralmente por volta de 5 a 6 anos de idade,1 embora a longevidade normal seja de 25 anos. Assim, o consumo de leite e derivados leva diretamente à morte das vacas.
 vaca com mastite vaca confinada
As estatísticas do USDA (Departamento de Agricultura norte-americano) mostram que em 1940, as vacas atingiam em média 2,3 toneladas de leite por ano. Apesar dos grandes excedentes de leite, o Hormônio de Crescimento Bovino (BGH) foi aprovado em 1993; e por volta de 1997, a média era de 8,4 toneladas por vaca.8 Algumas vacas tratadas com o BGH têm produzido agora cerca de 30 toneladas de leite em um único ano.9 A produção excessiva de leite leva a danos nos ligamentos da mama, fraqueza, mastite (inflamação da mama) e desequilíbrios metabólicos.1,5

 
A senhora DeBoer disse que nunca ordenhou uma vaca à mão, e espera não ter que fazer isso. Na fábrica que é seu estábulo, os empregados, quase todos imigrantes latinos, operam o maquinário. "É igual a uma fábrica", ela disse. "Se as vacas não produzem leite, elas viram carne."
"Urban Sprawl Benefits Dairies in California" (Crescimento Urbano beneficia leiterias na California), reportagem do New York Times, 22/10/99
As vacas leiteiras raramente têm permissão para cuidar dos filhotes.1 Um terço dos bezerros machos é morto imediatamente, ao mesmo tempo que 40% deles é criado para o mercado de vitelas alimentados com uma "ração especial".2 Esses bezerros são normalmente mantidos em cocheiras individuais acorrentados pelo pescoço com uma corrente de 60 a 90 cm durante 18 a 20 semanas.2 Depois são mortos.

E os peixes?

Muitos peixes possuem uma longa vida natural, um sistema nervoso complexo e são capazes de aprender tarefas não triviais.10 O livro-texto de Guyton & Hall "Textbook of Medical Physiology" (Compêndio de Fisiologia Médica) de 1996, declara que "as regiões inferiores do cérebro [que todos os vertebrados possuem] parecem ser importantes na percepção dos tipos de dor e sofrimento porque mesmo tendo seu cérebro cortado acima do mesencéfalo para bloquear todos os sinais de dor que atingiriam o cérebro superior, esses animais ainda demonstram inegáveis evidências de sofrimento quando qualquer parte do corpo é traumatizada".
A cada ano, aproximadamente 80.000 golfinhos e milhares de outros animais marinhos são aprisionados nas redes de pesca comercial no mundo inteiro. A maioria morre.11 A pesca industrial esgota as cadeias alimentares marinhas, danificando seriamente os ecossistemas oceânicos.12

Transporte

Durante o transporte, todos os animais de fazenda perdem pelo menos 3% de seu peso, a maior parte na primeira hora de viagem, através da urina e defecação bem como resultado de estresse.1 Os animais são obrigados a permanecer sobre os excrementos e ficam expostos à condições extremas de temperatura nos caminhões abertos, algumas vezes ficando presos ao caminhão por congelamento.13
 porcos em confinamento perus
Essas práticas padrão podem resultar em "baixas" -- animais que ficam doentes demais para andar, mesmo quando são espancados ou recebem choques com aguilhões elétricos. Em currais, os animais em "baixa" são arrastados por correntes, ainda vivos, e dali vão para o matadouro ou para uma pilha de animais mortos, onde são abandonados para morrer.14

Animais selvagens

O Serviço para Animais Selvagens da USDA/APHIS (órgão do Departamento de Agricultura norte-americano) e os criadores de gado matam animais selvagens para proteger os animais de fazenda. Tendo eliminado as populações nativas de lobos e ursos cinzentos,5 os caçadores do governo federal agora matam cerca de 100.000 coiotes, linces, porcos selvagens, bisões e leões-da-montanha a cada ano.15 Eles são alvejados por armas de fogo, mutilados em armadilhas cortantes, capturados com laços ou envenenados com cianeto.15

Animais selvagens

O Serviço para Animais Selvagens da USDA/APHIS (órgão do Departamento de Agricultura norte-americano) e os criadores de gado matam animais selvagens para proteger os animais de fazenda. Tendo eliminado as populações nativas de lobos e ursos cinzentos,5 os caçadores do governo federal agora matam cerca de 100.000 coiotes, linces, porcos selvagens, bisões e leões-da-montanha a cada ano.15 Eles são alvejados por armas de fogo, mutilados em armadilhas cortantes, capturados com laços ou envenenados com cianeto.15
 bisão
Bisões são mortos para proteger o gado.
 vaca com pescoço quebrado
Vaca cujo pescoço quebrou quando foi forçada a se separar do filhote é deixada para morrer.
 

 
Teve o caso desse touro que eu lidei no ano passado -- esse touro foi um dos maiores que já vi. Estava bem na parte da frente do reboque. E a vontade que ele tinha ... estava tentando ao máximo sair do reboque. Ele estava levando choques um atrás do outros dados por três ou quatro motoristas ... mas seus quadris e suas pernas de trás estavam enfraquecidas demais. E assim, eles continuavam a dar choques. Levou 45 minutos para tirá-lo da parte da frente do reboque até a rampa na parte de trás ... Então, dali ele foi acorrentado pelas pernas da frente mas acabou caindo da rampa até o chão de uma distância que não sei quanto era mas que fez um estrondo ... aí eu disse "Porque vocês não sacrificam logo o infeliz ? O que há com vocês ? Cadê o código de Ética ?" e um outro cara disse "Eu nunca sacrifico. Porque eu iria matar uma vaca que ainda pode sair e ainda tem um bocado de carne nela ?" Quando eu comecei, tive uma conversa com um outro caminhoneiro sobre as "baixas". Ele disse "É melhor você não ligar mesmo. Isso tem acontecido por muitos anos. Vai acontecer ainda pelo resto da minha vida e da sua também. É melhor você se conformar. Isso sempre acontece. Você vai ficando um pouco amargo, como eu fiquei. Não pense nos animais. Imagine que eles não estão sentindo nada ou qualquer outra coisa."
Entrevista com um caminhoneiro de gado canadense no documentário "A Cow at my Table" (Uma Vaca na Minha Mesa) sobre a indústria da carne.

fonte: http://www.vegetarianismo.com.br/

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Confissão de mãe


Meus Filhos
 
Esta manhã, eu vou sorrir quando vir seus rostos, e rir mesmo sentindo vontade de chorar. Vou deixar voces escolherem o que vão vestir, sorrir e dizer o quanto está ótimo. Eu vou deixar a roupa pra lavar de lado, pegar voces e levá-los ao parque para brincar. Vou deixar a louça na pia e deixar voces me ensinarem a montar aquele quebra-cabeça. Esta tarde, eu vou desligar o telefone, manter o computador fora do ar e sentar-me com voces no quintal e soltar bolhas de sabão. Eu não vou gritar nenhuma vez, nem mesmo resmungar quando voces gritarem e acenarem para o carrinho de sorvetes, e vou comprar dois se ele passar. Eu não vou me preocupar com o que voces vão ser quando crescerem. Vou deixar voces me ajudarem a assar biscoitos e não vou ficar tentando concertá-los. Esta noite, vou segurá-los em meus braços e contar-lhes uma história sobre como voces nasceram e como eu os amo. Eu vou deixar voces espirrarem a água do banho e não ficar nervosa. Vou deixar voces ficarem acordados até tarde, enquanto ficamos sentados na soleira, contando todas as estrelas. Eu vou me aconchegar no meio de voces por horas e perder meus programas favoritos na TV. Quando eu passar meus dedos entre seus cabelos, eu vou simplesmente ser grato a Deus por ter me dado o maior presente do mundo. Eu vou pensar nas mães e pais que procuram por seus filhos perdidos, nas mães e pais que visitam a sepultura de seus filhos ao invés de suas camas, nas mães e pais que estão em hospitais vendo seus filhos sofrerem sem que isto tenha sentido e gritando por dentro que não podem mais suportar isso.
E, quando eu lhes der um beijo de boa noite, eu vou lhes segurar um pouquinho mais forte, por um pouquinho mais de tempo. E é então, que vou agradecer a Deus por voces, e não pedir nada a Ele, exceto mais um dia... 

 

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Mãe.... MINHA mãe!


Imagine uma mulher: linda, honesta, amiga, batalhadora, eficiente, competente, durona (não dá o braço a torcer nem pede ajuda), conselheira na medida certa, super vó, inteligente, criativa, responsável, excelente cozinheira, secretária, pscicologa, pintora, encanadora, eletricista, médica, artista....ufa! Se esqueci algo me perdoem...rsrsrs enfim, esta é minha mãe!
Dona Mirian. 
Mírian.
Nita para os íntimos.
 
Nos deu um baita susto! Aliás estou com o coração na mão até agora... já tentei, minha própria mãe já tentou recoloca-lo no lugar mas não entra... E eu me sinto um "cocô" humano em não poder ajuda-la, em não poder toca-la e plim, como num passe de mágica curar e tirar a dor...
Eu sei que ela já fez essa mágica inúmeras vezes comigo desde que nasci, e o motivo da minha tristeza é não conseguir imita-la...
A vontade que tenho é assim como meus filhos, coloca-la numa redoma de vidro e proteger de tudo e todos. Não posso fazer isso...
E me dói muito.
Sabe aquela pessoa que está morrendo de dor e fala: "tá tudo bem" só para não te preocupar? Ela é assim... Esta semana estava se sentido mal, tontura, enjoo etc, foi pro médico, estava tomando soro quando pimba! Teve uma isquemia cardíaca. 
 
Foi de ambulância até o hospital onde fizeram exames e constataram a isquemia. Agora precisa passar no cardiologista para saber a causa e tratamento. Falo com ela pelo telefone ela tenta disfarçar mas sinto sua voz cansada.  Chorar eu sei que não vai ajudar em nada... mas tá difícil...rsrsrs O que cabe a mim é orar por sua saúde...
Como ela me disse ontem "É minha filha, peças antigas como eu começam a pifar depois de um certo tempo, a gente vai fazendo a manutenção, mas não volta a 0Km..."
Tá, eu sei, mas
1º ela nem é tão velha assim, só tem 51 anos, e
2º e mais importante: NÃO PODE, NÃO COM ELA, ELA É MINHA MÃE!!! Poxa...

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Ah vai tomar no....!!!

PQ ESSE LAZARENTO NÃO COLOCOU A MÃE E IRMÃS???!!!!!!


Estética sem ética

“Artistas” usam cadáveres de cães como tapetes em exposição de arte

08 de outubro de 2009

Por Marcela Couto (da Redação)
Pouca gente sabe, mas, no ano de 2007, dois supostos artistas, Ondrej Brody e Kristofer Paetau, executaram um projeto absolutamente antiético que justificaram como “arte”. Os homens foram até a cidade de La Paz, na Bolívia, obtiveram 10 cadáveres de cães executados pelo centro de zoonoses local e transformaram seus corpos em tapetes.
cao5
A justificativa para o “projeto” foi de que se tratava de uma “obra de arte” que mostrava a hipocrisia da sociedade ao tratar cães como membros da família, enquanto outros animais considerados selvagens viravam tapetes pelo “fetiche da caça”. Os cadáveres dos cães foram expostos em um museu da Bolívia e mais tarde em Praga.
Apesar da data do ocorrido, há uma petição em aberto protestando contra os artistas e reivindicando que sejam punidos e banidos de qualquer museu do mundo, devido a recentes divulgações do antigo projeto na internet. A petição pode ser assinada aqui.

Entrevista realizada pelo próprio Kristofer Pateau, sobre suas ideias e as ideias de Ondrej:
Sobre o que é este “projeto”?

Ondrej: Os tapetes de cães mostram a hipocrisia da sociedade. Eles questionam o status superior que os cães e gatos possuem em nosso mundo.

Kristofer: É sobre a tradição de produzir tapetes com animais selvagens como um fetiche de caça. Mas, neste caso, estamos usando um animal considerado impróprio, um pet – e dessa forma queremos questionar os valores dessa tradição. Nós expusemos este trabalho na mostra que ocorreu na Bolívia por três razões: mais aventura, menores custos de produção e o grande problema dos cães de rua na América do Sul.
cao4
Como vocês fizeram o processo?

Ondrej: Procuramos o centro de zoonoses de La Paz, na Bolívia, que recolhe 100 cães por semana e os executa todas as sextas-feiras. Nós preparamos o projeto para que fosse exposto no museu Tambo Quirquincho. Foi fácil e rápido, solicitamos 10 cães a serem sacrificados para nossa obra.

Kristofer: Conseguimos uma autorização do diretor do museu e levamos diretamente ao centro de zoonoses, foi simples obter os 10 cães.

Conte-nos sobre a morte dos cães. Você assistiram? Como se sentiram?

Ondrej: A experiência da matança foi horrível. Chegamos ao centro de zoonoses uma hora antes da execução, e meia hora depois eles começaram. Os cães estavam muito nervosos, latindo muito, como se precisassem mostrar pela última vez que estavam vivos. Quando começaram a matá-los a jaula inteira ficou em silêncio. Tenho certeza que os cães sabiam exatamente o que estava por vir…

Kristofer: Sim, nós assistimos. Os portões ficaram fechados e ninguém pôde ver o que estava acontecendo. De repente o lugar ficou em completo silêncio e os cães pararam de latir. Fiquei nervoso. Então registrei algumas fotos, mas não olhei, eram 5 ou 6 caras dando injeções nos cães com grandes tubos cheios de veneno. Todos os animais defecavam e urinavam logo após receber as injeções. Eles morreram em 30 segundos e foram deixados no meio de seus excrementos. Me senti miserável.
cao11
O que aconteceu depois?

Ondrej: Depois da execução o centro de zoonoses nos ofereceu transporte para os cadáveres até o taxidermista. O responsável não era sequer um profissional, era um guarda do museu que fazia trabalhos de taxidermia, horríveis por sinal, mas não tínhamos escolha.

Kristofer: Pediram para que nós escolhêssemos nossos 10 cães, que foram colocados em sacos plásticos. Escolher 10 animais entre 80 recém-assassinados foi algo como um pesadelo, mas foi incrível perceber o quão rapidamente eu passei a olhar aqueles corpos como objetos, apenas tentando escolher o mais bacana. A taxidermia feita pelo cara ficou péssima. Ainda dava pra ver a carne e os ossos nas pernas e os cães estavam fedendo como o inferno.

Como vocês expuseram o trabalho no museu?

Ondrej: Os tapetes não estavam prontos ainda, estavam molhados e fedendo absurdamente. Decidimos guardá-los no pátio do museu para que secassem. A ideia era mostrar os cães secando durante a mostra, um verdadeiro freak show.

Kristofer: Mas não conseguimos expor as carcaças a tempo por causa da umidade. Então penduramos todos em uma parte mais alta do museu. Foi uma péssima “instalação”, mas como queríamos mesmo mostrar o processo o curador local aceitou deixá-los lá mesmo. O diretor já não gostou e pediu para que fossem tirados das vistas do público, mas muitos visitantes viram o trabalho.
cao2
Quais foram as reações ao trabalho?

Ondrej: Criaram um escândalo. Os defensores dos animais foram reclamar com a prefeitura e pediram ao centro de zoonoses – o mesmo que nos deu os cães mortos – para que reportasse e explicasse a situação. O que o centro de zoonoses fez foi entrar no museu e roubar os tapetes, o que foi bizarro já que tínhamos todas as autorizações para a realização do projeto.

Kristofer: Houve uma grande cobertura da mídia, que nos confrontou com os defensores dos animais. Não tivemos tempo de organizar nada, já que nosso voo de volta era no dia seguinte. Fiquei sabendo até que o prefeito de La Paz instituiu uma lei no mesmo dia proibindo que “cães mortos fossem exportados”, para impedir que levássemos algum dos tapetes. Ele ficou com muito medo de perder o emprego em caso de escândalo internacional.

Vocês decidiram fazer os tapetes de cães na Europa depois da experiência na Bolívia. O que acham da transição?

Ondrej: Na verdade, tentei realizar o projeto em Praga logo depois de chegar da Bolívia. O tapete é muito confrontante, o trabalho fala justamente de hipocrisia. Os cães ocupam lugares na nossa sociedade que às vezes se tornam mais importantes do que uma relação mais próxima com família e amigos.

Kristofer: Depois da Bolívia eu fui passar um tempo no Rio de Janeiro e o Ondrej foi para Praga. Como pretendíamos participar juntos da Bienal de Praga e mostrar os tapetes de cães, ele ficou concentrado na produção deles enquanto eu trabalhava com ratos no Brasil. Os cães de Praga vieram de um hospital onde os animais morrem porque os donos não querem cuidar, então são legítimos pets abandonados até a morte. Isso tornou a experiência bem diferente da Bolívia, não foi uma aventura louca com cães de rua, mas ainda assim os tapetes de cães são objetos muito perturbadores.

Nota da Redação: É absolutamente revoltante que uma crueldade tão abominável aconteça e ainda possa ser justificada como “arte”. Os supostos artistas querem mostrar ao mundo por meio de seu projeto sinistro que os animais tutelados não merecem o lugar que ocupam nas famílias, isso sem considerar a situação dos milhares de cães abandonados, abusados e mortos como os que foram utilizados por eles. Em vez de combater o fetiche dos animais selvagens transformados em tapetes e o massacre de cães, eles preferiram chamar a atenção expondo carcaças de cães e promovendo a suposta “hipocrisia” de se tratar um animal com dignidade. 

Com informações de brodypateau.com 

fonte:   
http://www.anda.jor.br/?p=24333

linda!


uhú ganhei ontem (do maridão) essa baby look do parma.... uma graça! até a sophie gostou!!!


Hoje tem jogo do Palmeiras e o Du vai...foi ontem até o palestra comprar os ingressos com os colegas de trabalho, aproveitou e comprou pra ele uma camisa retô (acho muito mais bonita, o tecido melhor e sem aqueles bombardeios de propagandas estampadas...) e a minha.

Ah e por falar em Sophie, que por sinal faz niver semana que vem... Sabe os brinquedos que vêm no Mclanche feliz? pois então, não são só as crianças que gostam, ela tb adora... olha uma foto dela com o The Cat! kkkkk

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Presentes!


Daí que todos sabemos que dia das crianças é uma data COMERCIAL (assim como Natal, Páscoa, etc e tal) Dos comerciais da TV, se passam 10, 11 são de brinquedos, principalmente em canais infantis (Disney, discovery kids, nick etc) As crianças ficam literalmente loucas com tanta novidade, tantas opções (e nós, pais, também ficamos loucos... COM O PREÇO das novidades kkkk) Tá ok, furias a parte (sábado fomos comprar os presentes das crianças nossa passei até mal, o bagulho LOTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAADO aff) então, ai, é uma delícia ver os olhinhos de ansiedade abrindo os presentes!!!! Hoje a Júlia veio em casa trazer o presente do Gu e da Gi pois ela vai viajar...eles adoraram!!!!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Amizade verdadeira o tempo nao apaga!


Pois é... passamos a infância, adolescência juntas... Hoje todas casadas, algumas com filhos... de algumas um tempão sem ver... mas o carinho continua ali no coração...firme e forte e de lá não saí... E no domingo (graças a Paula que nos convidou para o niver da fofa da filha dela, a Giulia que fez 1 aninho!) nos reencontramos!
Vixe Maria... imagina um monte de mulherada que não se via a um certo tempo... blábláblá blábláblá e mais blá blá e mesmo assim não deu para colocarmos todos os assuntos em dia....kkkkk mas foi ÓOOOOTEMO!!! 15 anos se pasaram mas quando estavamos lá conversando, juro, senti que o tempo tinha voltado... Relembrando histórias, contando as novidades... Amei!


quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Ainda para os pequenos... BACKYARDIGANS!

O gustavo e a Giovanna vão no dia 10, com a Paula, estão super ansiosos!!! Vão adorar, parece ser bem legal, depois eu conto!





Backyardigans
Fuga da Aldeia Mágica
 
O show mais esperado pelas crianças finalmente sai em tour nacional. Em São Paulo o espetáculo Backyardigans se apresenta no HSBC Brasil, nos dias 10, 11 e 12 de outubro, incluindo sessões especiais para escolas.

A garotada vai poder conferir de perto os personagens de um dos desenhos animados mais queridos da atualidade. O espetáculo “Backyardigans 2 – Fuga da Aldeia Mágica ” realiza apresentações em todo o Brasil.

As crianças aprendem a se expressar criativamente, cantar e dançar todo tipo de gêneros musicais - desde reggae e bossa nova até hip-hop - com os cinco personagens animados: o pingüim Pablo; o alce Tyrone; uma criatura violeta chamada Uniqua; Tasha, a hipopótamo, e o precavido canguru Austin. “Backyard”, o quintal, é o lugar perfeito para os Backyardigans. Ali, todas as suas aventuras se tornam realidade. É o cenário onde criam suas histórias musicais.

Desde o ano passado, o show ao vivo dos Backyardigans tem percorrido todo o Brasil com um sucesso sem precedentes. As capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Brasília, Vitória, entre outras cidades, receberam o espetáculo sempre com recordes de público. Em São Paulo o show se apresenta pela segunda vez devido ao grande sucesso.

Para as crianças que adoram o Discovery Kids



Confira! O presente evento é aberto à participação gratuita de clientes pessoas físicas durante o período de: 25 de setembro a 12 de outubro de 2009.
Local: Shopping Anália Franco - São Paulo.



EVENTO
• Horário de funcionamento do evento:
De domingo a sexta, das 14h às 20h.
Sábados, das 10h às 20h.
• Local do evento: Praça de Eventos – Piso Orquídea
• Os participantes deverão se apresentar na fila de entrada 15 minutos antes do horário marcado.

RETIRADA DE INGRESSO
• Local: Bilheteria - Praça de Eventos, próximo ao evento.
• Ingressos válidos somente para o mesmo dia.
• Lotação limitada.
Horário de retirada de ingressos: domingo a sexta, a partir das 13h. Sábados, a partir das 10h.

• Entrada gratuita.

• Após participação nas atividades, o visitante que quiser participar novamente deverá se dirigir para a fila de retirada de ingressos.
• Na retirada do ingresso, os visitantes deverão preencher uma ficha de cadastro para entrada no evento.
• O visitante que chegar após o horário marcado no seu ingresso, deverá retirar um novo ingresso no próximo horário disponível.

GERAL

• Permitida a entrada de crianças de 0 a 11 anos, limitadas à altura de 1,35m e somente acompanhadas por 1 adulto responsável. É
obrigatória a presença de 1 adulto responsável durante a participação da criança noevento, o qual se responsabilizará por ela.
• Não é permitido entrada com alimentos e bebidas.
• Não é permitido entrada de animais no evento.
• Todas as atividades estão sob a coordenação de monitores treinados, que darão dicas de funcionamento, segurança, regras do evento, entre outros. Os participantes que não seguirem as orientações da monitoria e coordenação do evento não poderão permanecer nas atividades.

Na hora H foda-se o porco? RI-DI-CU-LA!

Vegetariana passa mal e recebe implante cardíaco de porco

Com problema grave de coração, escocesa foi salva pela válvula de suíno.
‘Foi um choque, mas percebi que era uma escolha de vida ou morte’, disse.



Se não fosse o coração de um porquinho, a jovem vegetariana Robyn Cairney, de 18 anos, poderia estar morta. Com um raro problema cardíaco, a escocesa foi submetida a uma complexa cirurgia para o implante de uma válvula extraída do coração de um porco.


  • Aspas Agora, sou uma vegetariana que é mantida viva por um porco"

Segundo o tabloide britânico “The Sun”, a garota ficou assustada ao receber dos médicos a notícia sobre a operação. “Sendo vegetariana, foi um grande choque”, afirmou. “Mas percebi que isso era uma escolha de vida ou morte.”

Robyn deixou de lado suas convicções e percebeu que continuaria sua vida somente se o suíno fosse sacrificado. “Agora, sou uma vegetariana que é mantida viva por um porco”, comentou.
Moradora de Glasgow, na Escócia, Robyn teve consciência do problema quando passou mal em uma academia. "Eu não conseguia respirar e não parava de tossir. Então, meus lábios começaram a ficar azuis”, lembrou.

A jovem foi diagnosticada com estenose aórtica (ou seja, a abertura de sua aorta era estreita). Por conta dessa condição, o sangue que saía do coração poderia, a qualquer momento, voltar ao órgão. "Quando eu era levada para o hospital, um médico ouviu meu coração e disse que eu poderia ter morrido.”

A válvula de porco deve durar 20 anos. Após esse período, a garota terá de se submeter a uma cirurgia para o implante de uma válvula mecânica. "Estou feliz pelo fato de poder continuar minha vida e estou determinada a aproveitar ao máximo tudo o que eu faço", completou.




terça-feira, 27 de outubro de 2009

Fim de ano chegando!!!



O comércio não nos deixa esquecer... até na farmácia já tem arvore de Natal...uahauahauah exagerados? não, só pra nos lembrar que estão chegando:
* IPTU
* IPVA
* re-matrícula (x 2)
* uniforme (x 2)
* material escolar (x 2)
* aniversário do Gu na escola
* aniversário do Gu em casa
* formatura do Gustavo (lê-se álbum de formatura e "beca")
* presente das professoras e coordenadora
* presentes amigos e famílias
* ceia
etc etc etc... aí até desanima...kkkk não pelos gastos... e bom ganhar presente mas tb é ótimo dar... poder pagar um colégio bom para os filhos, e a emoção da formatura!!! Mas vamos combinar...final de ano junta tudo e mais um pouco! Dá vontade de sair correndo.... Um dia eu ganho na mega sena e não preciso mais me preocupar com isso...kkkk basta eu jogar né? quem sabe...

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

FELIZ! FELIZ! FELIZ!


Oba! Hoje é sexta-feira, já é um bom motivo pra ficar feliz MAAAAAAAAAAAS tenho um motivo mil vezes melhor: Acabei de saber: minha prima Jack tá gravidíssima!!!!!Ai que lindo ai que lindo ai que lindo!!!! Fiquei muito feliz! Que venha com muuuita saúde!!!! Já tem até nome: Enzo ou Isadora!!! Ela mora em Valinhos, liguei agora pra ela pra dar os parabéns, ela tá toda boba...ainda não caiu a ficha direito, ela só confirmou pelo exame ontem...eu sei como é... Lembro qdo engravidei do Gustavo... Demora um tempinho pra ficha cair...ai mais é lindo! uma criança sempre é uma bênção!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

erro de português

ok,ok, não sou perfeita, eu tb erro, admito. Agora, se tem uma coisa q eu ODEIO são erros de protuguês. Ah vá a merda, se tem dúvida da escrita, procura no google, pô! Ai vc me fala: por mais que possa parecer "distante", ainda tem pessoas que não possuem computador. Tá, já sei disso, mas numa empresa é o mínimo que se espera, né? (Até na MS tinha, né Than? uahauhauahua) enfim, eu comprei no mercado aquelas couves que já vêm picadinhas e embaladas, sabe? aí fui fazer hj no almoço e quando pego a bonita pra abrir a embalagem eis que me deparo com isso:


Para tuuuudo! Ah qué isso gente? extra com S? até o Gustavo sabe que é com X ! me revoltei! kkkk Se eu tivesse visto no mercado não teria comprado. É, sou rebelde mesmo! kkkk
Vai ver quem fez isso é parente da Sasha (que escreveu no twitter cena com s) uahauahaua Tá, ela foi alfabetizada em ingles e cena em ingles é scene, confundiu... Já esse fulaninho da couve não pode usar tal desculpa, pois até mesmo em inglês, extra é com X!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Backyardigans - peça



Falei da peça do homem-aranha e esqueci de falar da dos backyardigans que as crianças foram. Segundo a Paula, uma megaprodução, cheia de efeitos especiais caprichados, em 3D.



As crianças interagem o tempo todo, muito legal, eles adoraram!

homem aranha - peça



Nós fomos domingo no ginásio do Ibirapuera assistir a peça do homem aranha que o Du ops o Gustavo queria ver kkkkkk muito bem feito, gostei, mas sabe como é né... homem aranha não é muito minha praia... se fosse a barbie...uahauahaua então, mas eu achei muito comprido, são 2 atos de 90 minutos e 10 de intervalo... e as cadeiras do ginásio não são lá essas coisas no quesito conforto... aliás, o ginásio em geral tá um caco, precisa de uma reforma urgente!!!! ui. Mas foi legal!


Era do gelo 3


Daí que últimamente eu respriro A era do gelo 3... kkkkk é que o Gu faz niver dia 10 de Dezembro mas as aulas vão até o dia 04 de Dezembro e ele quer fazer festa na escola, aí antecipei pro Novembro, aí já viu a correria... (Ele bem q poderia ter colaborado e escolhido um tema mais...popular...kkk mas tá valendo!)
Já terminei o convite: 



vou fazer maletinhas com kit lanche, o mini bolo do parabéns e as lembrancinhas (conforme eu for fazendo eu coloco as fotos). São 36!!! kkk crianças pq vou fazer para 2 classes. Ele está super animado e eu super louca kkkkk.

A transformação dos animais em comida

A competição para produzir carne, ovos e derivados de leite baratos tem levado o "agribusiness" a tratar os animais como objetos e mercadorias. A tendência mundial é a de substituir fazendas familiares pelas granjas industriais: galpões onde os animais são mantidos em currais abarrotados ou cocheiras estreitas. Um grande número de bois de corte, vacas leiteiras, leitões, galinhas e perus são criados nessas condições.1
Crueldade industrializada:  granjas industriais
 cela
Porcas passam a vida inteira em gestação, presas em baias de aleitamento sem poder se virar.
 porquinho 
A lei federal norte-americana de Bem-Estar dos Animais (Animal Welfare Act) exclui da proteção os animais de granja, e a maioria das leis anti-crueldade isentam a prática padrão da pecuária. Isso inclui marcar com ferro quente, castrar, cortar o chifre, cortar o bico e a cauda - procedimentos realizados sem anestesia.
A maioria das pessoas que comem carne não pensam muito sobre todo o processo que envolve a conversão do animal vivo na carne no prato... Para a pecuária moderna, quanto menos o consumidor souber o que acontece antes que a carne acabe no prato, melhor. Se isso for verdade, seria uma situação éticamente justificável? Deveríamos, nós pecuaristas, relutar em permitir que as pessoas saibam o que realmente se passa, só porque não nos orgulhamos do que fazemos e  temos medo que as pessoas se tornem vegetarianas?
Dr. PhD Peter Cheeke, professor de Pecuária da Oregon State University, livro-texto "Contemporary Issues in Animal Agriculture" (Questões Atuais da Pecuária), 1999
Muitos acreditam que os animais criados para alimento devem ser bem tratados porque animais mortos ou doentes não rendem dinheiro. O Dr. PhD Bernard Rollin, explica que é "mais eficiente economicamente colocar um número maior de aves em cada gaiola, aceitando menor produtividade por galinha mas maior produtividade por gaiola ... os animais individuais podem "ter produtividade", por exemplo, em ganho de peso, também porque ficam imóveis, sofrendo por não ter como se mover ... galinhas são baratas, mas as gaiolas são caras".3
Esse filme [Babe] é a idéia que as pessoas têm sobre os porcos. Os "Babes" da vida real não vêem o sol em sua vida curta, não têm palha para se deitar, e nem lama para se banhar. Os leitões vivem em gaiolas minúsculas, tão estreitas que não podem sequer se virar. Eles vivem sobre grades de metal, e seus excrementos são empurrados em calhas por debaixo e descarregados em fossas imensas.
Morley Safer reportagem "Pork Power" (Poder dos Porcos), noticiário 60 Minutes, 19/9/1997
Em um artigo recomendando que o espaço seja reduzido de 2,5 para 1,8m quadrados por leitão, o jornal da indústria National Hog Farmer (Fazendeiro de Porcos Nacional) sugere que "amontoar compensa" na produtividade final.4
Aves
Nos EUA, praticamente todas as aves de produção são criadas em granjas industriais.5 Nessas condições estressantes e superpopulosas, as galinhas bicam-se umas às outras. Para impedir isso, os funcionários cortam até 2/3 dos bicos com uma lâmina quente, causando dor aguda durante semanas.6 Algumas aves não conseguem comer depois de cortado o bico e morrem de fome.3 Em galpões pouco ventilados, os excrementos exalam vapores que causam infecções respiratórias, infecções nos olhos e outros danos.7

Galinhas poedeiras

Até seis3 galinhas poedeiras vivem em uma única gaiola cujo chão feito de grades de arame nao passa de 0,5 metros quadrados.1 Essas condições levam à debilidade, ossos quebradiços, osteoporose e fraqueza muscular.3
Com o aumento do conhecimento sobre o comportamento e as habilidades cognitivas da galinha, veio o reconhecimento de que a galinha não é uma espécie inferior para ser tratada meramente como uma fonte de alimento.
Dr. PhD Lesley J. Rogers, "The Development of Brain and Behaviour in the Chicken" (O Desenvolvimento do Cérebro e do Comportamento na Galinha), 1995
Em 1888, as galinhas punham em média 100 ovos por ano;1 em 1998, a média era de 256.8 Ao final de seu ciclo de postura, as galinhas nos EUA são abatidas ou recebem um "choque biológico" que consiste em remover a ração e a água por vários dias para provocar outro ciclo de postura de ovos.5
 debicagem
Debicagem
 criação de frangos
Galinheiro de frango
As granjas de ovos não fazem uso dos pintos machos; eles são mortos por sufocamento em sacos plásticos, decapitação, câmaras de gás ou esmagamento.3
 
De acordo com os estudiosos, as galinhas [criadas para o abate] crescem tão rapidamente que o coração e os pulmões não se desenvolvem o bastante para suportar o resto do corpo, resultando em falha cardíaca congestiva e tremendas perdas por  mortes.
David Martin para a revista Feedstuffs (Rações), 26/5/1997
A realidade da vida das vacas
As pessoas normalmente acreditam que não causam mal às vacas ao beber seu leite. No entanto, não é lucrativo manter vacas vivas depois que sua produção de leite diminui - geralmente por volta de 5 a 6 anos de idade,1 embora a longevidade normal seja de 25 anos. Assim, o consumo de leite e derivados leva diretamente à morte das vacas.
 vaca com mastite vaca confinada
As estatísticas do USDA (Departamento de Agricultura norte-americano) mostram que em 1940, as vacas atingiam em média 2,3 toneladas de leite por ano. Apesar dos grandes excedentes de leite, o Hormônio de Crescimento Bovino (BGH) foi aprovado em 1993; e por volta de 1997, a média era de 8,4 toneladas por vaca.8 Algumas vacas tratadas com o BGH têm produzido agora cerca de 30 toneladas de leite em um único ano.9 A produção excessiva de leite leva a danos nos ligamentos da mama, fraqueza, mastite (inflamação da mama) e desequilíbrios metabólicos.1,5

 
A senhora DeBoer disse que nunca ordenhou uma vaca à mão, e espera não ter que fazer isso. Na fábrica que é seu estábulo, os empregados, quase todos imigrantes latinos, operam o maquinário. "É igual a uma fábrica", ela disse. "Se as vacas não produzem leite, elas viram carne."
"Urban Sprawl Benefits Dairies in California" (Crescimento Urbano beneficia leiterias na California), reportagem do New York Times, 22/10/99
As vacas leiteiras raramente têm permissão para cuidar dos filhotes.1 Um terço dos bezerros machos é morto imediatamente, ao mesmo tempo que 40% deles é criado para o mercado de vitelas alimentados com uma "ração especial".2 Esses bezerros são normalmente mantidos em cocheiras individuais acorrentados pelo pescoço com uma corrente de 60 a 90 cm durante 18 a 20 semanas.2 Depois são mortos.

E os peixes?

Muitos peixes possuem uma longa vida natural, um sistema nervoso complexo e são capazes de aprender tarefas não triviais.10 O livro-texto de Guyton & Hall "Textbook of Medical Physiology" (Compêndio de Fisiologia Médica) de 1996, declara que "as regiões inferiores do cérebro [que todos os vertebrados possuem] parecem ser importantes na percepção dos tipos de dor e sofrimento porque mesmo tendo seu cérebro cortado acima do mesencéfalo para bloquear todos os sinais de dor que atingiriam o cérebro superior, esses animais ainda demonstram inegáveis evidências de sofrimento quando qualquer parte do corpo é traumatizada".
A cada ano, aproximadamente 80.000 golfinhos e milhares de outros animais marinhos são aprisionados nas redes de pesca comercial no mundo inteiro. A maioria morre.11 A pesca industrial esgota as cadeias alimentares marinhas, danificando seriamente os ecossistemas oceânicos.12

Transporte

Durante o transporte, todos os animais de fazenda perdem pelo menos 3% de seu peso, a maior parte na primeira hora de viagem, através da urina e defecação bem como resultado de estresse.1 Os animais são obrigados a permanecer sobre os excrementos e ficam expostos à condições extremas de temperatura nos caminhões abertos, algumas vezes ficando presos ao caminhão por congelamento.13
 porcos em confinamento perus
Essas práticas padrão podem resultar em "baixas" -- animais que ficam doentes demais para andar, mesmo quando são espancados ou recebem choques com aguilhões elétricos. Em currais, os animais em "baixa" são arrastados por correntes, ainda vivos, e dali vão para o matadouro ou para uma pilha de animais mortos, onde são abandonados para morrer.14

Animais selvagens

O Serviço para Animais Selvagens da USDA/APHIS (órgão do Departamento de Agricultura norte-americano) e os criadores de gado matam animais selvagens para proteger os animais de fazenda. Tendo eliminado as populações nativas de lobos e ursos cinzentos,5 os caçadores do governo federal agora matam cerca de 100.000 coiotes, linces, porcos selvagens, bisões e leões-da-montanha a cada ano.15 Eles são alvejados por armas de fogo, mutilados em armadilhas cortantes, capturados com laços ou envenenados com cianeto.15

Animais selvagens

O Serviço para Animais Selvagens da USDA/APHIS (órgão do Departamento de Agricultura norte-americano) e os criadores de gado matam animais selvagens para proteger os animais de fazenda. Tendo eliminado as populações nativas de lobos e ursos cinzentos,5 os caçadores do governo federal agora matam cerca de 100.000 coiotes, linces, porcos selvagens, bisões e leões-da-montanha a cada ano.15 Eles são alvejados por armas de fogo, mutilados em armadilhas cortantes, capturados com laços ou envenenados com cianeto.15
 bisão
Bisões são mortos para proteger o gado.
 vaca com pescoço quebrado
Vaca cujo pescoço quebrou quando foi forçada a se separar do filhote é deixada para morrer.
 

 
Teve o caso desse touro que eu lidei no ano passado -- esse touro foi um dos maiores que já vi. Estava bem na parte da frente do reboque. E a vontade que ele tinha ... estava tentando ao máximo sair do reboque. Ele estava levando choques um atrás do outros dados por três ou quatro motoristas ... mas seus quadris e suas pernas de trás estavam enfraquecidas demais. E assim, eles continuavam a dar choques. Levou 45 minutos para tirá-lo da parte da frente do reboque até a rampa na parte de trás ... Então, dali ele foi acorrentado pelas pernas da frente mas acabou caindo da rampa até o chão de uma distância que não sei quanto era mas que fez um estrondo ... aí eu disse "Porque vocês não sacrificam logo o infeliz ? O que há com vocês ? Cadê o código de Ética ?" e um outro cara disse "Eu nunca sacrifico. Porque eu iria matar uma vaca que ainda pode sair e ainda tem um bocado de carne nela ?" Quando eu comecei, tive uma conversa com um outro caminhoneiro sobre as "baixas". Ele disse "É melhor você não ligar mesmo. Isso tem acontecido por muitos anos. Vai acontecer ainda pelo resto da minha vida e da sua também. É melhor você se conformar. Isso sempre acontece. Você vai ficando um pouco amargo, como eu fiquei. Não pense nos animais. Imagine que eles não estão sentindo nada ou qualquer outra coisa."
Entrevista com um caminhoneiro de gado canadense no documentário "A Cow at my Table" (Uma Vaca na Minha Mesa) sobre a indústria da carne.

fonte: http://www.vegetarianismo.com.br/

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Confissão de mãe


Meus Filhos
 
Esta manhã, eu vou sorrir quando vir seus rostos, e rir mesmo sentindo vontade de chorar. Vou deixar voces escolherem o que vão vestir, sorrir e dizer o quanto está ótimo. Eu vou deixar a roupa pra lavar de lado, pegar voces e levá-los ao parque para brincar. Vou deixar a louça na pia e deixar voces me ensinarem a montar aquele quebra-cabeça. Esta tarde, eu vou desligar o telefone, manter o computador fora do ar e sentar-me com voces no quintal e soltar bolhas de sabão. Eu não vou gritar nenhuma vez, nem mesmo resmungar quando voces gritarem e acenarem para o carrinho de sorvetes, e vou comprar dois se ele passar. Eu não vou me preocupar com o que voces vão ser quando crescerem. Vou deixar voces me ajudarem a assar biscoitos e não vou ficar tentando concertá-los. Esta noite, vou segurá-los em meus braços e contar-lhes uma história sobre como voces nasceram e como eu os amo. Eu vou deixar voces espirrarem a água do banho e não ficar nervosa. Vou deixar voces ficarem acordados até tarde, enquanto ficamos sentados na soleira, contando todas as estrelas. Eu vou me aconchegar no meio de voces por horas e perder meus programas favoritos na TV. Quando eu passar meus dedos entre seus cabelos, eu vou simplesmente ser grato a Deus por ter me dado o maior presente do mundo. Eu vou pensar nas mães e pais que procuram por seus filhos perdidos, nas mães e pais que visitam a sepultura de seus filhos ao invés de suas camas, nas mães e pais que estão em hospitais vendo seus filhos sofrerem sem que isto tenha sentido e gritando por dentro que não podem mais suportar isso.
E, quando eu lhes der um beijo de boa noite, eu vou lhes segurar um pouquinho mais forte, por um pouquinho mais de tempo. E é então, que vou agradecer a Deus por voces, e não pedir nada a Ele, exceto mais um dia... 

 

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Mãe.... MINHA mãe!


Imagine uma mulher: linda, honesta, amiga, batalhadora, eficiente, competente, durona (não dá o braço a torcer nem pede ajuda), conselheira na medida certa, super vó, inteligente, criativa, responsável, excelente cozinheira, secretária, pscicologa, pintora, encanadora, eletricista, médica, artista....ufa! Se esqueci algo me perdoem...rsrsrs enfim, esta é minha mãe!
Dona Mirian. 
Mírian.
Nita para os íntimos.
 
Nos deu um baita susto! Aliás estou com o coração na mão até agora... já tentei, minha própria mãe já tentou recoloca-lo no lugar mas não entra... E eu me sinto um "cocô" humano em não poder ajuda-la, em não poder toca-la e plim, como num passe de mágica curar e tirar a dor...
Eu sei que ela já fez essa mágica inúmeras vezes comigo desde que nasci, e o motivo da minha tristeza é não conseguir imita-la...
A vontade que tenho é assim como meus filhos, coloca-la numa redoma de vidro e proteger de tudo e todos. Não posso fazer isso...
E me dói muito.
Sabe aquela pessoa que está morrendo de dor e fala: "tá tudo bem" só para não te preocupar? Ela é assim... Esta semana estava se sentido mal, tontura, enjoo etc, foi pro médico, estava tomando soro quando pimba! Teve uma isquemia cardíaca. 
 
Foi de ambulância até o hospital onde fizeram exames e constataram a isquemia. Agora precisa passar no cardiologista para saber a causa e tratamento. Falo com ela pelo telefone ela tenta disfarçar mas sinto sua voz cansada.  Chorar eu sei que não vai ajudar em nada... mas tá difícil...rsrsrs O que cabe a mim é orar por sua saúde...
Como ela me disse ontem "É minha filha, peças antigas como eu começam a pifar depois de um certo tempo, a gente vai fazendo a manutenção, mas não volta a 0Km..."
Tá, eu sei, mas
1º ela nem é tão velha assim, só tem 51 anos, e
2º e mais importante: NÃO PODE, NÃO COM ELA, ELA É MINHA MÃE!!! Poxa...

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Ah vai tomar no....!!!

PQ ESSE LAZARENTO NÃO COLOCOU A MÃE E IRMÃS???!!!!!!


Estética sem ética

“Artistas” usam cadáveres de cães como tapetes em exposição de arte

08 de outubro de 2009

Por Marcela Couto (da Redação)
Pouca gente sabe, mas, no ano de 2007, dois supostos artistas, Ondrej Brody e Kristofer Paetau, executaram um projeto absolutamente antiético que justificaram como “arte”. Os homens foram até a cidade de La Paz, na Bolívia, obtiveram 10 cadáveres de cães executados pelo centro de zoonoses local e transformaram seus corpos em tapetes.
cao5
A justificativa para o “projeto” foi de que se tratava de uma “obra de arte” que mostrava a hipocrisia da sociedade ao tratar cães como membros da família, enquanto outros animais considerados selvagens viravam tapetes pelo “fetiche da caça”. Os cadáveres dos cães foram expostos em um museu da Bolívia e mais tarde em Praga.
Apesar da data do ocorrido, há uma petição em aberto protestando contra os artistas e reivindicando que sejam punidos e banidos de qualquer museu do mundo, devido a recentes divulgações do antigo projeto na internet. A petição pode ser assinada aqui.

Entrevista realizada pelo próprio Kristofer Pateau, sobre suas ideias e as ideias de Ondrej:
Sobre o que é este “projeto”?

Ondrej: Os tapetes de cães mostram a hipocrisia da sociedade. Eles questionam o status superior que os cães e gatos possuem em nosso mundo.

Kristofer: É sobre a tradição de produzir tapetes com animais selvagens como um fetiche de caça. Mas, neste caso, estamos usando um animal considerado impróprio, um pet – e dessa forma queremos questionar os valores dessa tradição. Nós expusemos este trabalho na mostra que ocorreu na Bolívia por três razões: mais aventura, menores custos de produção e o grande problema dos cães de rua na América do Sul.
cao4
Como vocês fizeram o processo?

Ondrej: Procuramos o centro de zoonoses de La Paz, na Bolívia, que recolhe 100 cães por semana e os executa todas as sextas-feiras. Nós preparamos o projeto para que fosse exposto no museu Tambo Quirquincho. Foi fácil e rápido, solicitamos 10 cães a serem sacrificados para nossa obra.

Kristofer: Conseguimos uma autorização do diretor do museu e levamos diretamente ao centro de zoonoses, foi simples obter os 10 cães.

Conte-nos sobre a morte dos cães. Você assistiram? Como se sentiram?

Ondrej: A experiência da matança foi horrível. Chegamos ao centro de zoonoses uma hora antes da execução, e meia hora depois eles começaram. Os cães estavam muito nervosos, latindo muito, como se precisassem mostrar pela última vez que estavam vivos. Quando começaram a matá-los a jaula inteira ficou em silêncio. Tenho certeza que os cães sabiam exatamente o que estava por vir…

Kristofer: Sim, nós assistimos. Os portões ficaram fechados e ninguém pôde ver o que estava acontecendo. De repente o lugar ficou em completo silêncio e os cães pararam de latir. Fiquei nervoso. Então registrei algumas fotos, mas não olhei, eram 5 ou 6 caras dando injeções nos cães com grandes tubos cheios de veneno. Todos os animais defecavam e urinavam logo após receber as injeções. Eles morreram em 30 segundos e foram deixados no meio de seus excrementos. Me senti miserável.
cao11
O que aconteceu depois?

Ondrej: Depois da execução o centro de zoonoses nos ofereceu transporte para os cadáveres até o taxidermista. O responsável não era sequer um profissional, era um guarda do museu que fazia trabalhos de taxidermia, horríveis por sinal, mas não tínhamos escolha.

Kristofer: Pediram para que nós escolhêssemos nossos 10 cães, que foram colocados em sacos plásticos. Escolher 10 animais entre 80 recém-assassinados foi algo como um pesadelo, mas foi incrível perceber o quão rapidamente eu passei a olhar aqueles corpos como objetos, apenas tentando escolher o mais bacana. A taxidermia feita pelo cara ficou péssima. Ainda dava pra ver a carne e os ossos nas pernas e os cães estavam fedendo como o inferno.

Como vocês expuseram o trabalho no museu?

Ondrej: Os tapetes não estavam prontos ainda, estavam molhados e fedendo absurdamente. Decidimos guardá-los no pátio do museu para que secassem. A ideia era mostrar os cães secando durante a mostra, um verdadeiro freak show.

Kristofer: Mas não conseguimos expor as carcaças a tempo por causa da umidade. Então penduramos todos em uma parte mais alta do museu. Foi uma péssima “instalação”, mas como queríamos mesmo mostrar o processo o curador local aceitou deixá-los lá mesmo. O diretor já não gostou e pediu para que fossem tirados das vistas do público, mas muitos visitantes viram o trabalho.
cao2
Quais foram as reações ao trabalho?

Ondrej: Criaram um escândalo. Os defensores dos animais foram reclamar com a prefeitura e pediram ao centro de zoonoses – o mesmo que nos deu os cães mortos – para que reportasse e explicasse a situação. O que o centro de zoonoses fez foi entrar no museu e roubar os tapetes, o que foi bizarro já que tínhamos todas as autorizações para a realização do projeto.

Kristofer: Houve uma grande cobertura da mídia, que nos confrontou com os defensores dos animais. Não tivemos tempo de organizar nada, já que nosso voo de volta era no dia seguinte. Fiquei sabendo até que o prefeito de La Paz instituiu uma lei no mesmo dia proibindo que “cães mortos fossem exportados”, para impedir que levássemos algum dos tapetes. Ele ficou com muito medo de perder o emprego em caso de escândalo internacional.

Vocês decidiram fazer os tapetes de cães na Europa depois da experiência na Bolívia. O que acham da transição?

Ondrej: Na verdade, tentei realizar o projeto em Praga logo depois de chegar da Bolívia. O tapete é muito confrontante, o trabalho fala justamente de hipocrisia. Os cães ocupam lugares na nossa sociedade que às vezes se tornam mais importantes do que uma relação mais próxima com família e amigos.

Kristofer: Depois da Bolívia eu fui passar um tempo no Rio de Janeiro e o Ondrej foi para Praga. Como pretendíamos participar juntos da Bienal de Praga e mostrar os tapetes de cães, ele ficou concentrado na produção deles enquanto eu trabalhava com ratos no Brasil. Os cães de Praga vieram de um hospital onde os animais morrem porque os donos não querem cuidar, então são legítimos pets abandonados até a morte. Isso tornou a experiência bem diferente da Bolívia, não foi uma aventura louca com cães de rua, mas ainda assim os tapetes de cães são objetos muito perturbadores.

Nota da Redação: É absolutamente revoltante que uma crueldade tão abominável aconteça e ainda possa ser justificada como “arte”. Os supostos artistas querem mostrar ao mundo por meio de seu projeto sinistro que os animais tutelados não merecem o lugar que ocupam nas famílias, isso sem considerar a situação dos milhares de cães abandonados, abusados e mortos como os que foram utilizados por eles. Em vez de combater o fetiche dos animais selvagens transformados em tapetes e o massacre de cães, eles preferiram chamar a atenção expondo carcaças de cães e promovendo a suposta “hipocrisia” de se tratar um animal com dignidade. 

Com informações de brodypateau.com 

fonte:   
http://www.anda.jor.br/?p=24333

linda!


uhú ganhei ontem (do maridão) essa baby look do parma.... uma graça! até a sophie gostou!!!


Hoje tem jogo do Palmeiras e o Du vai...foi ontem até o palestra comprar os ingressos com os colegas de trabalho, aproveitou e comprou pra ele uma camisa retô (acho muito mais bonita, o tecido melhor e sem aqueles bombardeios de propagandas estampadas...) e a minha.

Ah e por falar em Sophie, que por sinal faz niver semana que vem... Sabe os brinquedos que vêm no Mclanche feliz? pois então, não são só as crianças que gostam, ela tb adora... olha uma foto dela com o The Cat! kkkkk

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Presentes!


Daí que todos sabemos que dia das crianças é uma data COMERCIAL (assim como Natal, Páscoa, etc e tal) Dos comerciais da TV, se passam 10, 11 são de brinquedos, principalmente em canais infantis (Disney, discovery kids, nick etc) As crianças ficam literalmente loucas com tanta novidade, tantas opções (e nós, pais, também ficamos loucos... COM O PREÇO das novidades kkkk) Tá ok, furias a parte (sábado fomos comprar os presentes das crianças nossa passei até mal, o bagulho LOTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAADO aff) então, ai, é uma delícia ver os olhinhos de ansiedade abrindo os presentes!!!! Hoje a Júlia veio em casa trazer o presente do Gu e da Gi pois ela vai viajar...eles adoraram!!!!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Amizade verdadeira o tempo nao apaga!


Pois é... passamos a infância, adolescência juntas... Hoje todas casadas, algumas com filhos... de algumas um tempão sem ver... mas o carinho continua ali no coração...firme e forte e de lá não saí... E no domingo (graças a Paula que nos convidou para o niver da fofa da filha dela, a Giulia que fez 1 aninho!) nos reencontramos!
Vixe Maria... imagina um monte de mulherada que não se via a um certo tempo... blábláblá blábláblá e mais blá blá e mesmo assim não deu para colocarmos todos os assuntos em dia....kkkkk mas foi ÓOOOOTEMO!!! 15 anos se pasaram mas quando estavamos lá conversando, juro, senti que o tempo tinha voltado... Relembrando histórias, contando as novidades... Amei!


quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Ainda para os pequenos... BACKYARDIGANS!

O gustavo e a Giovanna vão no dia 10, com a Paula, estão super ansiosos!!! Vão adorar, parece ser bem legal, depois eu conto!





Backyardigans
Fuga da Aldeia Mágica
 
O show mais esperado pelas crianças finalmente sai em tour nacional. Em São Paulo o espetáculo Backyardigans se apresenta no HSBC Brasil, nos dias 10, 11 e 12 de outubro, incluindo sessões especiais para escolas.

A garotada vai poder conferir de perto os personagens de um dos desenhos animados mais queridos da atualidade. O espetáculo “Backyardigans 2 – Fuga da Aldeia Mágica ” realiza apresentações em todo o Brasil.

As crianças aprendem a se expressar criativamente, cantar e dançar todo tipo de gêneros musicais - desde reggae e bossa nova até hip-hop - com os cinco personagens animados: o pingüim Pablo; o alce Tyrone; uma criatura violeta chamada Uniqua; Tasha, a hipopótamo, e o precavido canguru Austin. “Backyard”, o quintal, é o lugar perfeito para os Backyardigans. Ali, todas as suas aventuras se tornam realidade. É o cenário onde criam suas histórias musicais.

Desde o ano passado, o show ao vivo dos Backyardigans tem percorrido todo o Brasil com um sucesso sem precedentes. As capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Brasília, Vitória, entre outras cidades, receberam o espetáculo sempre com recordes de público. Em São Paulo o show se apresenta pela segunda vez devido ao grande sucesso.

Para as crianças que adoram o Discovery Kids



Confira! O presente evento é aberto à participação gratuita de clientes pessoas físicas durante o período de: 25 de setembro a 12 de outubro de 2009.
Local: Shopping Anália Franco - São Paulo.



EVENTO
• Horário de funcionamento do evento:
De domingo a sexta, das 14h às 20h.
Sábados, das 10h às 20h.
• Local do evento: Praça de Eventos – Piso Orquídea
• Os participantes deverão se apresentar na fila de entrada 15 minutos antes do horário marcado.

RETIRADA DE INGRESSO
• Local: Bilheteria - Praça de Eventos, próximo ao evento.
• Ingressos válidos somente para o mesmo dia.
• Lotação limitada.
Horário de retirada de ingressos: domingo a sexta, a partir das 13h. Sábados, a partir das 10h.

• Entrada gratuita.

• Após participação nas atividades, o visitante que quiser participar novamente deverá se dirigir para a fila de retirada de ingressos.
• Na retirada do ingresso, os visitantes deverão preencher uma ficha de cadastro para entrada no evento.
• O visitante que chegar após o horário marcado no seu ingresso, deverá retirar um novo ingresso no próximo horário disponível.

GERAL

• Permitida a entrada de crianças de 0 a 11 anos, limitadas à altura de 1,35m e somente acompanhadas por 1 adulto responsável. É
obrigatória a presença de 1 adulto responsável durante a participação da criança noevento, o qual se responsabilizará por ela.
• Não é permitido entrada com alimentos e bebidas.
• Não é permitido entrada de animais no evento.
• Todas as atividades estão sob a coordenação de monitores treinados, que darão dicas de funcionamento, segurança, regras do evento, entre outros. Os participantes que não seguirem as orientações da monitoria e coordenação do evento não poderão permanecer nas atividades.

Na hora H foda-se o porco? RI-DI-CU-LA!

Vegetariana passa mal e recebe implante cardíaco de porco

Com problema grave de coração, escocesa foi salva pela válvula de suíno.
‘Foi um choque, mas percebi que era uma escolha de vida ou morte’, disse.



Se não fosse o coração de um porquinho, a jovem vegetariana Robyn Cairney, de 18 anos, poderia estar morta. Com um raro problema cardíaco, a escocesa foi submetida a uma complexa cirurgia para o implante de uma válvula extraída do coração de um porco.


  • Aspas Agora, sou uma vegetariana que é mantida viva por um porco"

Segundo o tabloide britânico “The Sun”, a garota ficou assustada ao receber dos médicos a notícia sobre a operação. “Sendo vegetariana, foi um grande choque”, afirmou. “Mas percebi que isso era uma escolha de vida ou morte.”

Robyn deixou de lado suas convicções e percebeu que continuaria sua vida somente se o suíno fosse sacrificado. “Agora, sou uma vegetariana que é mantida viva por um porco”, comentou.
Moradora de Glasgow, na Escócia, Robyn teve consciência do problema quando passou mal em uma academia. "Eu não conseguia respirar e não parava de tossir. Então, meus lábios começaram a ficar azuis”, lembrou.

A jovem foi diagnosticada com estenose aórtica (ou seja, a abertura de sua aorta era estreita). Por conta dessa condição, o sangue que saía do coração poderia, a qualquer momento, voltar ao órgão. "Quando eu era levada para o hospital, um médico ouviu meu coração e disse que eu poderia ter morrido.”

A válvula de porco deve durar 20 anos. Após esse período, a garota terá de se submeter a uma cirurgia para o implante de uma válvula mecânica. "Estou feliz pelo fato de poder continuar minha vida e estou determinada a aproveitar ao máximo tudo o que eu faço", completou.