terça-feira, 11 de agosto de 2009

animais de entretenimento....

Quem vai a circos com animais nem imagina o que existe por trás do picadeiro. A verdade que nenhum dono de circo vai lhe mostrar é a forma como são tratados os animais.


Adquiridos em criadouros clandestinos (ou mesmo autorizados pelos órgãos competentes) ou capturados de seu habitat, onde geralmente as fêmeas são mortas para roubarem-lhe os filhotes, os animais passam por uma vida inteira de sofrimento desde a privação de seus instintos naturais até os treinamentos cruéis a que são submetidos. Muitos circos procriam seus animais para garantir a continuidade dos números circenses. É comum o abandono de animais pelos circos que passam por dificuldades financeiras ou porque os animais já estão velhos para a performance dos números. No Brasil já aconteceram vários casos de abandono de animais por parte de alguns donos de circos.



Nos últimos anos começaram a ser divulgadas as atrocidades cometidas pelos circos. Existem inúmeros documentários, fotos e testemunhas reunidas que comprovam os métodos de tortura (má alimentação, privação de espaço, choques, espancamentos entre outros). Desde então cidades no mundo inteiro estão proibindo a apresentação de circos com animais. Na cidade de São Paulo a apresentação de circos com animais está proibida graças ao empenho do vereador Aurélio Miguel que juntamente com a militância deste grupo, teve seu momento mais importante em 12 de junho passado. Naquela data, ocupando a presidência da Câmara Municipal de São Paulo, promulgou a Lei 826/2003, do vereador Roger Lin, proibindo a presença de animais em circos na cidade de São Paulo. Foi o ponto culminante de uma luta empreendida por Aurélio para derrubar o veto a essa lei que havia sido decretada pelo então prefeito José Serra.



Nos rodeios, os animais são vítimas de uma série de artifícios para parecerem “selvagens” quando na verdade estão apenas reagindo às torturas a que são submetidos. No Brasil, qualquer pessoa com um mínimo de inteligência sabe que o público freqüentador dos rodeios é atraído pelos shows dos grupos musicais.



Outra vergonha mundial são as chamadas “touradas”. Uma pesquisa recente divulgou que apenas 20% dos espanhóis freqüentam as touradas. Infelizmente esse espetáculo sangrento vem se expandindo. Além da Espanha, touradas são realizadas em países como Portugal, França, Equador, Perú, México e houve tentativa de levá-las para a Rússia.


Usar animais para entretenimento é resquício de uma época de “bárbaros” Não há mais lugar para tal tipo de "diversão" no século XXI.

No Brasil apesar da ausência das touradas temos a famigerada “Farra do Boi” realizada normalmente na época da Páscoa em cidades de Santa Catarina onde o pobre animal é solto nas ruas e perseguido por uma multidão enfurecida causando-lhe pânico e ferimentos até a morte.

2 comentários:

  1. Amiga, vc ñ come carne????? Nadnha???
    Então, eu AMO frango...carne vermelha só moida...rs...ta eu sei, o bichinho morreu do mesmo jeito. Mas assim, eu ñ como carne pq ñ gosto...acho o gosto ruim mesmo!! Ja frango e peixe...afff....devoro! Desculpa amiga!!! rs

    Bjoooos

    ResponderExcluir
  2. ta perdoada, amiga...
    não como nadinha de carne, nenhuma... não pelo sabor mas pelos bichinhos... todo mundo pensa: ah o q adianta só eu parar de comer e o mundo continuar? bom, eu parei, qto ao mundo, eu não posso pegar cada pessoa dar um tapa na cara e falar: para de comer carne filho da puta desalmado... (bem q eu queria hehehE) A minha parte (mesmo minuscula) eu fiz... e continuo torcendo para q mais pessoas se conscientizem-se... antes eu torcia o nariz qdo falavam de leite de soja, agora só tomo ele e não sei como viva sem... beijOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOs

    ResponderExcluir

terça-feira, 11 de agosto de 2009

animais de entretenimento....

Quem vai a circos com animais nem imagina o que existe por trás do picadeiro. A verdade que nenhum dono de circo vai lhe mostrar é a forma como são tratados os animais.


Adquiridos em criadouros clandestinos (ou mesmo autorizados pelos órgãos competentes) ou capturados de seu habitat, onde geralmente as fêmeas são mortas para roubarem-lhe os filhotes, os animais passam por uma vida inteira de sofrimento desde a privação de seus instintos naturais até os treinamentos cruéis a que são submetidos. Muitos circos procriam seus animais para garantir a continuidade dos números circenses. É comum o abandono de animais pelos circos que passam por dificuldades financeiras ou porque os animais já estão velhos para a performance dos números. No Brasil já aconteceram vários casos de abandono de animais por parte de alguns donos de circos.



Nos últimos anos começaram a ser divulgadas as atrocidades cometidas pelos circos. Existem inúmeros documentários, fotos e testemunhas reunidas que comprovam os métodos de tortura (má alimentação, privação de espaço, choques, espancamentos entre outros). Desde então cidades no mundo inteiro estão proibindo a apresentação de circos com animais. Na cidade de São Paulo a apresentação de circos com animais está proibida graças ao empenho do vereador Aurélio Miguel que juntamente com a militância deste grupo, teve seu momento mais importante em 12 de junho passado. Naquela data, ocupando a presidência da Câmara Municipal de São Paulo, promulgou a Lei 826/2003, do vereador Roger Lin, proibindo a presença de animais em circos na cidade de São Paulo. Foi o ponto culminante de uma luta empreendida por Aurélio para derrubar o veto a essa lei que havia sido decretada pelo então prefeito José Serra.



Nos rodeios, os animais são vítimas de uma série de artifícios para parecerem “selvagens” quando na verdade estão apenas reagindo às torturas a que são submetidos. No Brasil, qualquer pessoa com um mínimo de inteligência sabe que o público freqüentador dos rodeios é atraído pelos shows dos grupos musicais.



Outra vergonha mundial são as chamadas “touradas”. Uma pesquisa recente divulgou que apenas 20% dos espanhóis freqüentam as touradas. Infelizmente esse espetáculo sangrento vem se expandindo. Além da Espanha, touradas são realizadas em países como Portugal, França, Equador, Perú, México e houve tentativa de levá-las para a Rússia.


Usar animais para entretenimento é resquício de uma época de “bárbaros” Não há mais lugar para tal tipo de "diversão" no século XXI.

No Brasil apesar da ausência das touradas temos a famigerada “Farra do Boi” realizada normalmente na época da Páscoa em cidades de Santa Catarina onde o pobre animal é solto nas ruas e perseguido por uma multidão enfurecida causando-lhe pânico e ferimentos até a morte.

2 comentários:

  1. Amiga, vc ñ come carne????? Nadnha???
    Então, eu AMO frango...carne vermelha só moida...rs...ta eu sei, o bichinho morreu do mesmo jeito. Mas assim, eu ñ como carne pq ñ gosto...acho o gosto ruim mesmo!! Ja frango e peixe...afff....devoro! Desculpa amiga!!! rs

    Bjoooos

    ResponderExcluir
  2. ta perdoada, amiga...
    não como nadinha de carne, nenhuma... não pelo sabor mas pelos bichinhos... todo mundo pensa: ah o q adianta só eu parar de comer e o mundo continuar? bom, eu parei, qto ao mundo, eu não posso pegar cada pessoa dar um tapa na cara e falar: para de comer carne filho da puta desalmado... (bem q eu queria hehehE) A minha parte (mesmo minuscula) eu fiz... e continuo torcendo para q mais pessoas se conscientizem-se... antes eu torcia o nariz qdo falavam de leite de soja, agora só tomo ele e não sei como viva sem... beijOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOs

    ResponderExcluir